sábado, 20 de outubro de 2012

Ditadura da Felicidade


Por uma felicidade menos sintética!

Por mais que eu seja contemporâneo a certos fenômenos, dificilmente alguns deles deixam de me causar certo estranhamento. Nos últimos tempos o que tem me parecido estranho é uma ditadura do estar feliz. Em todas as redes sociais as pessoas fazendo comentários de como elas estão sempre alegres, felizes e festejando. Até parece que a vida é uma verdadeira festa, que ninguém toma pé na bunda, tem dor de barriga ou possui qualquer motivo que seja para estar insatisfeito. Há sempre aquela sensação de que a vida é uma eterna fotografia de família com todos gritando para você: “sorria para a câmera!”.

Questiono se dá para ser mentalmente saudável obrigando-se a estar sempre alegre? Será que talvez não seja obrigação da felicidade constante e essa busca incansável pelo prazer incessante que têm feito tantas pessoas fazerem filas nos psiquiatras e que têm alimentado tanto as vendas das indústrias farmacêuticas?

Será que não é muito mais saudável se permitir sentir um pouco de tristeza e sofrer as pequenas dores do cotidiano? Será que talvez não seja uma postura muito mais humana aceitar que essa felicidade incessante e essa ausência de sofrimento é algo impossível de ser alcançado. Será que não é uma atitude muito mais saudável se permitir vivenciar as paletas de sentimentos possíveis, aceitar ser alegre nos momentos alegres e triste nos momentos tristes, sentir a dor quando ela vier e também saber se deliciar com os pequenos prazeres da vida?

Sinceramente, eu acredito na impossibilidade de uma felicidade constante e permanente, principalmente num mundo caótico e , por isso mesmo, gostaria de ter mais liberdade de expressar como verdadeiramente me sinto.

11 comentários:

Julie Way disse...

"por isso mesmo, gostaria de ter mais liberdade de expressar como verdadeiramente me sinto."

Somos dois. Eu sinto uma extrema insatisfação quando perguntam "como vai?" e você é obrigado a responder "tudo bem", porque se disser que não está bem, o mundo vem abaixo e você é uma aberração. Sem contar que às vezes nem mesmo pros seus amigos você pode se abrir porque soa como um velho reclamão, e ainda corre o risco de ouvir coisas "você atrai o que pensa, tem que pensar positivo" hahahaha

Enfim, lamentável. Adorei a postagem.

Leonardo Xavier disse...

Eu acho estranho essa sensação de que as pessoas querem viver numa bolha de felicidade constante. Uma vida de comercial de margarina.

Carlos Medeiros disse...

Não tenho notado muito isso. Até vejo a Globo explorar o choro, até mesmo nas notícias.

Patrícia disse...

A tristeza e a desgraça são sempre exploradas nos meios de comunicação, para serem vistos. Mas no dia-dia, as pessoas esperam que você esteja feliz, até porque o discurso é que sempre tem alguém "pior". "Fique feliz, veja tanta desgraças no mundo, terrorismo, assalto, pobreza e você tem tudo! Porque está reclamando?"

- sáminina. disse...

Olha, eu penso que se as pessoas realmente se sentem assim, isso é extremamente bom e uau, parabéns pra elas né? Só não precisam compartilhar todos os seus sorrisos no facebook pra que todos morram de inveja. Acho que o problema mesmo não é o "estou feliz e quero mostrar" e sim se o "estou feliz" é verdadeiro. No meu caso, eliminaria o "quero mostrar" porque acho que felicidade é algo muito íntimo pra ser jogado em qualquer rede social cheia de gente invejosa. Muito embora não curta isso, defendo que se é verdadeiro, é válido. Mas se não é, porque ser aquilo que não somos né? O nome disso é hipocrisia.

Priscila Gambarra ® - disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Priscila Gambarra ® - disse...

Ahhh é pq vc não me segue. Eu to sempre reclamando de alguma situação. kkkkkk

P.S.: Qdo alguém me pergunta "Tudo bem?" e está mais ou menos, eu normalmente respondo "normal!", tb não fico lá desenrolando meus problemas.

Lais Castro disse...

Oi Leonardo, cadê você? Espero que esteja tudo bem. Abraço.

Leonardo Xavier disse...

Oi Laís a vida tem andado um pouco corrida, mas eu pretendo voltar a escrever em breve.

abraços

Ricardo Chicuta. disse...

Porra Leonardo,quase um ano cara. Bóra voltar a escrever.

Edielson Alencar disse...

Leonardo, você possui um pensamento profundamente centrado e racional do verdadeiro estado de humor das pessoas. É lógico que ninguém vive em uma bolha eterna de felicidade, mas o que percebo é a negação da infelicidade e a exagerada exposição de pequenos momentos de felicidade. Claro que felicidade deve ser buscada e no caminho somos contaminados por todos os tipos de sentimentos que no final dará maior prazer ao se encontrar a felicidade. Parabéns pela sua inteligente Colocação