terça-feira, 1 de novembro de 2011

O seu direito termina, onde o do outro começa.

Não custa nada lembrar:



2 comentários:

Ricardo Chicuta. disse...

Aí vc.olha o carrão.Se fosse um fusca o cara teria tirado na hora.Pobre é mais empático com relação a dor dos outros.
Mas na minha cidade as pessoas são mais bem educadas para dizer a verdade.

Leonardo Xavier disse...

Sabe Chicuta, parece que quanto maior se tornam as cidades, mais crítico se torna ter empatia com o próximo ao usar o espaço público e parece que mais despreparadas as pessoas são para isso.