quinta-feira, 30 de junho de 2011

Reerguendo-se



Não é com certa incredulidade que eu escuto as pessoas quando estas me dizem que tudo acontece em suas vidas de modos e em tempos oportunos. Não que eu pense que essas pessoas estejam querendo me impressionar, nunca fui o tipo de pessoa que desperta essa impulsão, ou que o narrador dos eventos seja um mentiroso.


Porém, em minha experiência de vida, nada se encaixa perfeitamente. Tudo é turbulento, há sempre as crises, os erros, as falhas. Há sempre algo que me escapa entre os dedos por detalhes mínimos. Existem coisas que não dão certo nem no momento que deveriam e outras nunca se acertam.


Raras são as ocasiões onde a redenção ocorre no último instante. Na maioria dos casos, estamos condenados a conviver com as nossas falhas, e sempre há mais uma espreitando na esquina, como um meliante que aguarda a vítima distraída.


E a vida parece insistir em nos golpear com as adversidades, nos por de joelhos, nos fazer beijar a lona. E tudo se pode fazer é conviver com esses erros, se reerguer e permanecer em pé ainda que cambaleante. E sorrimos para vida com o sangue escorrendo pelos lábios e com os dentes tingidos de escarlate. Ela sorri de volta, com a certeza de que um dia não nos reergueremos mais.


Soco na Cara


sexta-feira, 24 de junho de 2011

Misantropia

Apatia Sofá

O telefone toca repetidas vezes até se silenciar. Do sofá surrado no meio da sala, eu observo o aparelho e me recuso atender a nossa série de toques que se inicia. A bateria do celular descarregou “por descuido”, pelo menos essa é a minha versão da história.


A verdade é que hoje eu acordei decidido a não ver ninguém e não escutar uma única voz, vontade insana de ficar larga no sofá, olhando as manchas que o tempo fez no teto da sala. Eventualmente, me levantando para pegar uma água ou um café, o restante do tempo eu dedico a um livro e ao tédio e a um volume.


Alguém toca na campainha e bate à porta, eu simplesmente finjo que não estou e escuto com prazer os passos da pessoa se afastando. Ah solidão, algumas vezes és a melhor companhia que um homem pode ter!

sábado, 18 de junho de 2011

Novo Template

Olá a todos,estou testando um novo template aqui no Discordando do Mundo. Uma tentativa de deixar a casa mais bonita. Se alguma coisa ficar estranha. Me mandem um mail, por favor.

abraços

terça-feira, 14 de junho de 2011

Da Generosidade

Há dias em que acordamos iluminados, parece que algumas coisas estão bem mais claras na nossa mente e que parece emergir uma certa riqueza de detalhes riqueza de detalhes em tudo que vemos e observamos.


São aqueles dias em que conseguimos olhar para uma árvore no jardim e não vemos um amontoado de folhas e galhos, mas vemos os detalhes que constituem aquela árvore: as variações de tonalidades de verde, as flores, os brotos saindo ainda verdes do tronco, a própria textura da casca da árvore, os insetos na sua constante marcha e o pássaro que faz de um galho seu palco.


Dias em que conseguimos ir além da imagem e dos rótulos que aplicamos as pessoas que nos cercam e compreender que eles estão além do papel que elas representam nas nossas vidas. Alcançar aquela tristeza oculta em olhos levemente inchados pelo choro oculto na madrugada, perceber a ansiedade nos pequenos gestos ansiosos por trás do discurso sereno ou perceber que algo aflige aquela pessoa nos pequenos lapsos de atenção naqueles que costumam ser nossos ouvintes atenciosos.


Creio que talvez sejam nesses dias que conseguimos nos libertar da visão de mundo internalizada e alcançar uma percepção de realidade plena. Eu costumo chamar essa postura de generosidade no olhar. Eu acredito que talvez seja nessa generosidade que resida a verdadeira poesia e beleza da vida.


Olhar Detalhes
- E quando foi a última vez que você percebeu que um olhar pode ter tantos detalhes?

domingo, 5 de junho de 2011

Família, Remédios e a Pílula do Esquecimento

Algumas vezes acho engraçadíssimos os cacoetes de família, principalmente os relativos aos tratamentos medicinais. E que família não tem suas pequenas simpatias nesse aspecto? Uma das minhas tias por exemplo, acredita ter descoberto no vinagre a verdadeira panacéia. Cortou, queimou, machucou passa Gelol vinagre que passa. Uma outra tem sua própria farmácia ambulante dentro da bolsa contendo remédios, band-aids e vitaminas. Mal me vê coçar o nariz devido a rinite alérgica e instantaneamente saca uma cartelinha de vitamina C do LAFEPE. Estoque de ácido ascórbico para uma semana, que sempre dura uns 15 dias graças à minha falta de memória.


Outro tipo comum é aquela tia mais natureba que adora saber os nutrientes e propriedades medicinais de cada vegetal. Assiste religiosamente o programa da Leda Nagle na TV Cultura e é uma defensora fervorosa dos chazinhos. Mal consegue não pode ver ninguém com um princípio de resfriado que já coloca na frente do sujeito um chá de limão com mel ou com gengibre, esses sim são daqueles que curam coração partido, amor mal resolvido e ainda traz de volta o amor em 3 dias.


Tudo bem eu até admito que o chazinho não faz esse milagre todo e que até hoje esses males de coração ainda não tem remédio, mas uns cientistas aí na Gringolândia estão prometendo um remédio para pelo menos esquecer desses nossos sofrimentos mais rapidamente. Já pensou, caro leitor, tomar uma drágea e esquecer aquele romance que não deu certo? Aposto que você teve a mesma idéia que eu, “Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças” na vida real.