sábado, 16 de outubro de 2010

Todos têm direito a opinião desde que concordem comigo!

Duas coisas me chamaram a atenção nessas eleições: a poluição no espaço urbano pelos candidatos e partidos e o modo como as pessoas não sabem respeitar a opinião alheia.

Sobre o primeiro aspecto eu já escrevi alguns textos anteriormente aqui no blog e até para o Papo de Homem (leia aqui, aqui, aqui e ali). E já cheguei a até a discutir antes mesmo da campanha eleitoral o modo como organizações religiosas tentam impor seu modo de vida na sociedade e quanto eu acho que isso é maléfico para uma sociedade laica (aqui). E eu acredito que talvez hoje seja dia de falar sobre a questão de respeito à opinião alheia.

Durante todo o processo eleitoral eu tenho recebido correntes de e-mail falando mal de ambos os candidatos. Coisas absurdas como dizer que o José Serra é calvo porque a besta botou a mão na cabeça dele ou que a Dilma usava a peruca para esconder a marca da besta e, honestamente, me chocava ainda mais ver que gente com capacidade cognitiva funcional se passando a espalhar tanta desinformação.

Algo que também me irrita é a clássica postura de que as pessoas inteligentes e preocupadas com o país são as que voltam no meu candidato, as pessoas que votam no outro candidato ou são membros da elite exploradora do povo ou são um bando de morta-fome flagelados da seca. Também me irrita a idéia propagada de que se um candidato for eleito eles vão acabar com os programas sociais todos ou que se o outro for eleito teremos uma ditadura socialista.

Isso sem contar quando se descamba para o voto de classes: mulher vota em mulher (como se eu fosse escolher um candidato por afinidade cromossômica), depois vem a questão de castas, dos grupos religiosos, os regionalismos. E ir de encontro a esses critérios significa que você é necessariamente, sexista, um herege, pária da sociedade e o pior de tudo: agora você também passa a ser contra o desenvolvimento regional.

Ainda mais interessante é o modo como isso é divulgado nas listas de e-mail, twitter, Orkut, mesa de bar e demais meios de interação social e como nessas discussões muitas vezes se perde o respeito total pelo amigo, colega de trabalho, conhecido ou mesmo parentes. Prevalece a regra de que todos têm direito a opinião desde que concordem comigo.

18 comentários:

Rafaela disse...

É verdade, eu sempre comento que respeito muito a opinião alheia e que adoro diversidade de opiniões. Parto do princípio de que toda unanimidade é burra!

so sad disse...

todos tem direito a opiniao sim, o problema é quando jornais , revistas e tvs fazem isso, se utilizam de um meio de comunicação em massa para fazer campanha politica.

Mônica Wesley disse...

Olha a campanha do Serra: Serra é do bem... então a Dilme tem a marca da besta... O pastor Silas Malafaia participa da mesma propaganda.
Votaria na Dilma sim, não pq é mulher, mas pq o Serra apela e utiliza argumentos que me inojam.

=*

Camila disse...

Nossa, já ouvi umas patadas durante essa campanha que me fizeram parar de comentar os posts dos outros. As pessoas tratam os candidatos como entes queridos. Legal se engajar em algo que se acredita, mas algumas pessoas perdem o bom senso!

Daniela Ramalho disse...

é típico das eleições. toda a gente arranja sempre algo que em nada se relaciona com a política para tentar deitar alguns dos candidatos abaixo.
p.s - é verdade que o tiririca concorreu para eleger deputados de extrema direito? :O

Leonardo Xavier disse...

Rafaela, eu acho que é bem por aí.

So Sad(eu juro que preferia te chamar por um nome, não me entra bem na cabeça a idéia de chamar alguém de "tão triste", kkk!), eu achei até mais responsável a postura da Folha de São Paulo de assumir a parcialidade dela. Apesar de ter achado um absurdo eles terem demitido a Maria Rita Kehl. Sinceramente, eu não achei nem que fosse um texto anti-Serrista.

Mônica, eu preferi voltar no Serra por "n" motivos, que vão desde a minha escala de valores até o que eu gostaria de ver no futuro do país. O que eu acho extremamente desagradável é essa postura de que se o outro não concordar com você, ele passa a ser necessariamente idiota.

Eu acho que talvez fosse essa a questão principal do texto: será que não é possível discordar civilizadamente?

Glauco M disse...

Obrigado a todos que comentaram neste post, ele boa parte por eu ter sido chamado de burro porque vou votar em serra, e sou nordestino. Alias, eu nunca vi do cão na Dilma, pensei que ela era o próprio.

Leonardo Xavier disse...

Camila, é bem por aí.

Daniela, o Tiririca foi eleito pelo Partido da República que se originou da fusão de dois partidos de direita PL (Partido Liberal) PRONA (Partido de Renovação da Ordem nacional, cujo maior realmente é de extrema direita). No entanto, ele puxou candidatos do Partido dos Trabalhadores, do Partido Comunista Brasileiro e do Partido Republicano Brasileiro. Antes que você pergunte: sim as alianças políticas no Brasil são incoerentes e oportunistas. Resumo da ópera um palhaço sendo eleito por um partido de direita e puxando gente de esquerda também... Em Portugal os políticos conseguem ser tão incoerentes?

Daniela Ramalho disse...

é assim, em portugal isso não acontece, porque eles estão bem definidos nos partidos. Mas há candidatos que têm problemas na justiça, outros que fugiram para o brasil à polícia e voltam para se candidatar e outros ainda que acumulam empregos em empresas e afins do estado com cargos políticos. existe muita promiscuidade nos partidos, excepto nos dois partidos da extrema-esquerda (o partido comunista português e o bloco de esquerda, que reúne várias correntes de esquerda), mas nos outros três existe muita trafulhice mesmo.

S. disse...

Não li. e n concordo.
to fugindo de eleição e qulquer sub-tema. alienada. frivola. imbecil.
rsrrsrsrssr.
beijinhos e saudades.

Leonardo Xavier disse...

S., fugir da responsabilidade e honra de ser eleitor é traição à Pátria no mais alto grau, kkkkk!

Mônica Wesley disse...

Aqui, mudei a URL do blog para: http://daconito.blogspot.com/
=*

Rachel Chagas disse...

Eu só tenho uma coisa a falar, pode me chamar de alienada, burra ou qualquer outro termo parecido mas, ODEIO política na maioria de seus aspectos.
Candidatos mais preocupados em falar do passado e malhar o outro, do que em apresentar suas propostas, estas que aliás, nem sei se vão cumprir.

Quanto a resposta à S. discordo também, pra mim traição a Pátria é estar do poder e aproveitar para favorecer a si mesmo. Meu dever como cidadã eu vou fazer, mas pelo único e exclusivo motivo de ser obrigada. Temos mais responsabilidade com as nossas obrigações do que os caras que colocamos lá em cima!

Me desculpe, mas é o que eu penso! Pode me chamar de alienada que eu deixo.

PS: eu sei que ele mudam uma coisa ou outra, mas é pra isso mesmo que eles estão lá, assim como no trabalho, eu faço o que fui contratada a fazer, não tenho por que me vangloriar, afinal, não é nada mais que minha obrigação.

PS 2: desculpa, mas o assunto POLÍTICA me estressa profundamente!

Beijão!

Leonardo Xavier disse...

Calma Rachel, o que eu falei para S. era brincadeira, kkkk! Mas política está revoltante ultimamente mesmo.

Rachel Chagas disse...

hauahuahuahauhaa... eu acho que preciso de Maracujina, anets de falar sobre esses assuntos...
:p

Só Jesus!!

Beijão

Bruno disse...

Sensacional.

Aí veja a ironia. Por esses motivos, eu fujo sempre de comentar política com um pessoalzinho aí. Mas aí a acusação vira que "ah, mas é por isso que o Brasil tá assim, tem que ser politizado blablablá". Tá complicado ¬¬

Abraço!

Leonardo Xavier disse...

Bruno, eu tento discutir a minhas idéia de política com o pessoal que se mostra receptivo. Cada vez mais eu penso que o modo como as pessoas recebem os gestos ou idéias que a gente demonstra depende não só desses gestos ou idéias depende um pouco da receptividade das pessoas.

Ricardo Chicuta. disse...

E quer saber?Eleito qual dos dois seja as coisas continuarão iguais.Fato.