sábado, 3 de julho de 2010

Máquinas de Escrever

Máquina Underwood

Algumas vezes eu fico pensando em como certas coisas deviam ser mais custosas algumas décadas atrás. Especificamente, eu penso na vida dos escritos antes da era dos computadores pessoais, que por sinal já é uma expressão que soa datada, e me soa até romântico o modo como eles escreviam em suas máquinas de datilografia. Nos romances, são sempre umas Underwoods, e eu até consigo imaginar o escriba datilografando os capítulos do seu livro na frente da máquina de escrever vendo seu texto ser esculpido letra por letra no papel, ouvindo o impacto ser transmitido da tecla para o papel, sem contar aquele barulho de campainha que a máquina faz quando a margem do papel é atingida.

Eu fico imaginando a concentração que esses escribas oldschool, necessitavam ter, por que hoje é muito mais fácil reescrever um trecho do papiro com o qual não se esteja sentindo satisfeito devido a nossos amigáveis editores de texto instalados nos notebooks que além de nos facilitar o trabalho de reescrever uma frase ou parágrafo sem ter que refazer toda uma página de texto, de vez em quando ainda nos dá uma mãozinha com um descuido na ortografia ou na acentuação que por ventura tenha passado despercebido por desleixo ou por falta de coordenação.

E não que eu pretenda largar o meu notebook de lado e passar a escrever meus textos em máquina Olivetti antiga que os meus pais ainda têm guardada aqui em casa, até por que elas não têm acesso à internet e seria possível postar no blog, mas creio que na época onde as pessoas tinham que ponderar mais enquanto escreviam suas palavras ou seus textos, as palavras aparentavam possuir mais impacto...

10 comentários:

Camila disse...

Aí, te ver falando da máquina me lembro do antigo ICQ. Não sei se você chegou a usar, mas quando você ia digitando ele fazia o som de uma máquina de escrever. Eu adoraaaaaaava aquele barulho. Eu também não usaria a máquina hoje, mas tem seu charme. rs

Leonardo Xavier disse...

Camila,eu confesso que eu não cheguei a usar o ICQ, pulei do mirc ( que eu não tinha gostado muito ) para o messenger. Mas eu lembro de ter brincado com umas máquinas de escrever quando garoto, eu achava o máximo!

Felipe "Miro" 'Dreads' disse...

Discordo desse "impacto" que os textos da máquina de escrever aparentavam ter hem...

Tá certo que é muito mais elegante... oldschool total... mas nada como um teclado... uma tela de computador... e milhões de pessoas conectadas à rede que podem cruzar com os seus textos por acaso...

Leonardo Xavier disse...

Miro, Eu acho que até pode ser que um texto de internet tenha muito mais impacto do ponto de vista do ativismo instantâneo... Alguém influente posta e um monte de pessoas começam a replicar aquela mensagem. No entanto eu acho que até agora, eu ainda não tive a impressão de ver um texto de era de internet com aquela cara de que veio para ficar por vária gerações.

Eu ainda não vi um grande clássico com jeito de literatura de internet.

S. disse...

eu usei, datiografava meus trabalhos de escola na máquina, velha que sou! o editor de texto era o corretivo. Beijinhos.

Mônica Wesley disse...

Me lembrou... Q eu fiz curso de datilografia, acredita? Quebrava as unhas nas "teclas[?]" extremamente duras. tiha até teste pra ver quantas letras vc datilografava em determinado tempo.
Sou idosaaaa..... =/
#morri

Belos e Malvados disse...

Usei essas máquinas enormes também, no trabalho. Creia-me, a gente perdia era tempo!!!

Patrícia disse...

Poxa leo... só lembro da nossa infância, quando a gente ficava de férias e ia pertubar mamãe no cartório! Adorava quando não tinha ninguém na máquina de escrever pra ficar batendo as teclinhas.

Pequeno Grande Mundo disse...

Esse post me lembrou um filme "Louca Obsessão"... Muitoooo bommm... Vc já viu?

Leonardo Xavier disse...

Paty,era legal mesmo escrever na máquina com o barulhinho, eu quero um editor de texto que tenha barulhinho de máquina de escrever.

Karoll, eu confesso que pelo menos de nome eu não lembro. Eu acho que não devo ter assistido.