sexta-feira, 21 de maio de 2010

Esta Mensagem se autodestruirá em ...

Cartas


Depois de ler este texto do Belos e Malvados, que por coincidência antes mesmo de ler o link me veio um trecho do texto que é linkado lá: “Todas as cartas de amor são ridículas. Não seriam cartas de amor se não fossem ridículas.”. E tudo isto me lembrou de um episódio. Eu acho que estávamos fazendo uma arrumação na casa e não lembro por que motivo minha mães estava a arrumar o seu guarda-roupa, quando no meio daquele monte de coisas que misteriosamente conseguem caber nos guarda-roupas femininos surge uma caixa.

Nessa caixa, como todos podem adivinhar pela citação, continha inúmeros cartões postais que correspondem ao período que meus pais estavam noivos, com papai tendo conseguido um emprego na Bahia pouco antes deles se casarem. Recordo-me de achar engraçadíssimo ver como a figura sisuda do meu pai, tinha a capacidade de escrever cartas de amor. Ainda mais surpreendente me foi perceber que aquele homem sempre tão sério, prático e até um tanto avesso a manifestações de afeto pudesse encerrar postais com os tão meigos e ao mesmo tempo cafoníssimos: “mil x mil beijos”.

Depois disso tudo eu fiquei pensando o quanto o amor faz com sejamos todos ridículos e que por mais parvas que sejam as cartas de amor, elas têm essa capacidade de nos tornar um pouco mais honestos quanto ao que sentimos. No entanto, pensando bem direitinho, eu acho que as cartas de amor deveriam ser como as mensagens mandadas aos agentes secretos nos filmes de espionagem e se autodestruírem após seis meses, posto que isso é tempo mais do que suficiente para donzela apaixona ler, reler e suspirar com as linhas escritas pelo jovem mancebo. Ela abriria a carta e surgiria uma voz: “Esta carta de amor se auto destruirá em seis meses”. Pouparíamos-nos de muitos momentos embaraçosos no futuro.

11 comentários:

Mônica Wesley disse...

Aiiii... Não da idéia da mensagem se autodestruir. Cartas de amor são ótimas recordações. Eu tenho várias.
Mil x mil beijos!!! =*

Rafaela disse...

Olha meu marido até hoje escreve cartas de amor e elas sempre me fazem chorar, é impressionante. Eu as deixo todas colocadas na porta do ármario e sempre volto a ler. Agora pensando no seu post seria bastante constrangedor ver cartas de amor do meu pai para minha mãe, essas sim deveriam se autodestuir. Acho que quando eu tiver um filho irei guardar as minhas a sete chaves.

- sáminina. disse...

Mas e depois pra lembrar? O legal das coisas ridículas é lembrar que elas já existiram um dia- e lembrar o quanto elas nos tornaram ridículos!

Camila disse...

Nãããão..... imagina..... eu mesma adoooooooro ler cartas antigas. Guardo TUDO, faz parte da minha vida.
E no fim das contas: "...As cartas de amor, se há amor, Têm de ser Ridículas. Mas, afinal, Só as criaturas que nunca escreveram Cartas de amor É que são Ridículas."

Felipe "Miro" 'Dreads' disse...

Cara... eu postei algo sobre isso faz mto tempo hahahahaha do mesmo jeito q vc... pqp como eu me sinto idiota de ter escrito tanta merda pra minha ex namorada... o texto q tá no link diz tudo por mim...

Se bem que... meses depois q terminei o namoro e reli as cartas da minha ex pra mim... eu caí em prantos...

Mas isso fica pra outra hora....



Aquele abraço

Belos e Malvados disse...

Nada Leonardo. Desculpe, mas vou discordar de você. É justamente no futuro que a gente mais sente falta delas. rsrsrs. Bjos e obrigada pela citação.

Daniela Ramalho disse...

Não sabia que por aí se gostava tanto de Pessoa :)
Eu também tenho cartas de amor guardadas, inclusivé de ex-namorados, mas talvez um dia pegue em todas e deite fora. Curiosamente também já descobri algumas do meu pai para a minha mãe e foi deveras estranho ler as mesmas :P

Mônica Wesley disse...

Eu tbm guardo tudo... esse post com seus comentáros me faz pensar que guardar cartas é coisa de maoria feminina. =***

Raquel disse...

fino esse texto e engraçada a sua praticidade pras coisas... "cartas que se autodestroem." rs
os textos que, as vezes, apago me soam como cartas ridículas de amor, apesar do afeto que sinto por todos.

Patrícia Félix disse...

Eu, possuidora de uma alma essencialmente feminina não gostei da idéia da autodestruição da carta :) rsrs Brincadeiras à parte, esses textos apaixonados costumam ser embaraçosos mesmo. Eu mesma sinto vergonha de coisas que já escrevi, é como se estivesse forçando a barra para tornar o sentimento ainda mais intenso. Quanto à cartinha, deixe-a viver o quanto conseguir...

Pequeno Grande Mundo disse...

Bem, n acho q sejam ridículas... Mas mesmo q fossem, se o mundo tivesse mais cheio de coisas ridículas assim seria mt melhor...