quarta-feira, 28 de abril de 2010

Recife Antigo

Noite no Recife Antigo
Ele desceu do ônibus no terminal do cais e seguiu caminho cruzando pelos tipos usuais que freqüentavam o local, fossem eles outros usuários do transporte público, vendedores ambulantes ou mesmo funcionários das companhias de transporte, até chegar à saída. Atravessou a rua e avistou as pontes, com suas iluminações noturnas refletidas nas águas turvas e poluídas do rio.

Daquele ponto, também era possível observar uma fração da parte histórica da cidade, com suas construções em diversos estados de conservação que variavam entre o completo abandono e belíssimos trabalhos de revitalização. Tudo isso, o aguardava na outra margem do rio.

Ele sentia certo misto de paixão e atração por aquela parte da cidade. Ele gostava das fachadas antigas dos prédios e dos contrastes entre os diversos graus de conservação ali presentes. Entretia-lhe o contraste entre prédios antigos e os grafitis realizados nas suas paredes. Aprazia-lhe observar os diferentes tipos de pessoas, de tribos ainda mais variadas, que freqüentavam aquela parte da cidade.

Enquanto todas essas observações e lembranças passavam-lhe pela cabeça, ele alcançara a metade da ponte. Ele para por alguns segundos para observar novamente as águas do rio. Então o som da música e o burburinho das pessoas a conversar se torna audível.

Dentro de alguns instantes ele seria mais um a aumentar aquele burburinho, discutindo toda sorte de assuntos numa daquelas calçadas em frente aos velhos prédios decadentes.

11 comentários:

Raquel disse...

linda essa sua cidade, igual sua descrição deste pedaço dela. Vc tem uma descrição bem bacana, já te disse isso, né? =]

Mônica Wesley disse...

Muito bela mesmo sua cidade.... quando vc falou de buruburinho, pensei, pronto foi assaltada... hauhuahauha Pq acontece! Uma rua como essa da foto aqui, a noite, deserta... Corre q é assalto! =P

Rachel Chagas disse...

Eu muito provavelmente continuaria em silêncio a observar tudo, fiquei em silêncio ao "observar" a cidade enquanto você a descrevia. Os detalhes simplesmente me levam a qualquer lugar que seja, tão bom isso, né?!

Rafaela disse...

Amo o Recife Antigo, demais mesmo. Me sinto em casa.

Daniela Ramalho disse...

Não tem nada a ver com a ideia que fazia das cidades brasileiras. Tem um ar bastante europeu a fotografia :)
Alguma vez estiveste em portugal?

p.s - ainda não me acostumei à ideia de que vocês quase não podem sair à noite sem ser assaltados :/

Leonardo Xavier disse...

Eu acho que pelo fato de ter sofrido muito influência Européia, principalmente portuguesa. Dá para ver principalmente nos sítios históricos. Ah, infelizmente ainda não conheci a Europa, mas um dia eu vou ao velho continente.

Ah quantos aos assaltos, eles não são assim tão freqüentes. Eu acho que é mais a sensação de insegurança que assusta as pessoas e eu acho que de certa forma tem prejudicado um pouco a vida noturna das cidades. No entanto, a boémia resiste bravamente! kkkk!

Daniela Ramalho disse...

Curiosamente, o porto há alguns anos atrás também tinha muito sentimento de insegurança, mas com o crescimento da universidade a vida nocturna tem crescido ao ponto de haver tanta gente na rua às 4h da manhã como às 16h da tarde... é caricato :)
Infelizmente também nunca estive no brasil, mas tenho alguma curiosidade pelas cidades do nordeste por causa da ligação histórica a portugal, mais aliás, do que em relação ao Rio de janeiro.

Leonardo Xavier disse...

Eis uma das coisas que eu acho que não ocorre no Brasil. Não há um confronto entre a sociedade e a criminalidade, as pessoas preferem se omitir e se esconder. Eu acho que talvez se as pessoas parecem de se esconder e continuassem seguindo sua vida normalmente, talvez houvesse um pouco menos de espaço para essa sensação de insegurança se alastrar.

Camila disse...

É... nossa cidade realmente tem coisas lindas. Peculiaridades que a gente só encontra aqui. Pra mim o verdadeiro turismo da nossa cidade é isso aí. Praia, tem em todo nordeste, mas uma cidade que mistura a arquitetura portuguesa e holandesa, quase toda plana, cortada pelo rio em diversos pontos... só aqui tem isso.
Ah, e parabéns pelo texto. Muito bem escrito.

Lais Castro disse...

Uma poética visão da cidade! Somente hoje vi essa publicação... tanto tempo depois... hehehe

Leonardo Xavier disse...

Ah Laís, o Recife Antigo é sempre apaixonante. É o lugar da cidade onde eu me sinto em paz.