segunda-feira, 19 de abril de 2010

Da Fortuna

Da Fortuna


Eu costumo perceber que em geral as pessoas se dividem em dois grupos quando tentam classificar os motivos que a levaram a uma determinada situação na vida. Eu vejo um grupo formado pelos céticos que acredita que tudo que os acontece é conseqüência das leis da ação e reação, portanto seu destino é regido somente pelos seus atos e escolhas. Enquanto o outro grupo acredita que tudo na nossa vida é regido por um ente mágico que nos traça um destino, seja esse ente Deus ou o caos.

Na minha concepção de mundo, não há a idéia de um Deus todo poderoso regendo o meu destino, mas eu acredito que há uma série de fatores na minha vida que foge ao meu controle e que também não são conseqüências diretas ou indiretas dos meus atos.

Talvez acreditar que todos os sucessos e insucessos na minha vida são determinados pura e exclusivamente pelas minhas atitudes seria de uma arrogância sem tamanho. No entanto crer no contrário, que toda a minha vida é determinada pelo acaso ou por algum ente invisível, seria de uma covardia sem precedentes...

8 comentários:

Lais Castro disse...

Não entendi bem o segundo parágrafo, Leonardo. Na sua concepção de nundo há, ou não, a idéia de um Deus regendo o seu destino?
Olha, eu acredito que é cada um de nós que vai traçando seu destino, bom ou ruim, de acordo com as nossas atitudes e ações na vida... será isso arrogância? Mas eu acredito em tantas outras coisas, também... que sei eu? (risos)
Uma coisa eu sei, pelo menos, gosto de seus escritos.
Abraço.

Camila disse...

Nem oito nem oitenta. Acho que todos temos um caminho, temos uma missão traçada por Deus, mas que seguir ou não esse caminho depende da gente e das nossas escolhas. Acho que de vez em quando a gente recebe uma forcinha divina que nos faz identificar os caminhos, mas cabe a cada um de nós dirigir nossas próprias vidas.

Leonardo Xavier disse...

Valeu Lais, eu vi que tinha engolido uma parte do que eu queria dizer e já corrigi. Eu acho que eu tenho que aprender a revisar melhor os textos antes de publicar.

Eu queria dizer que por mais que eu saiba que muitas das coisas que eu sou, são conseqüências dos meu atos, eu acho que também há um dose de coisas caóticas que acontecem que são tão determinantes quanto os meus. Eu acho que um homem é aquilo que ele opta ser dentro das oportunidades que lhe são dadas.

Por exemplo, seria você a mesma Lais se você tivesse nascido em outro local e em outra época? Teria você as mesmas possibilidades de destino que possui hoje ?

Mônica Wesley disse...

Não existe nada regendo o mundo... como vc mesmo disse a vida é feita de escolhas, mas não existe só vc no mundo, logo suas escolhas conflitam com a de outras pessoas... Pra conseguir um emprego, durante uma entrevista... é uma guerra de escolhas suas e de outros candidatos que vão determinar no fim "o que se encaixa no perfil" que a empresa X esta precisando. Se suas escolhas tiverem sido as melhores, vc ta dentro se a de outra pessoa tiver sido, vc tá fora. Simples assim! =***

Alexandre disse...

Não é uma questão de crença, senão de evidência. Fazemos esforços e esperamos que nossa ação gere alguma reação. O acaso, o inesperado, tanto pro bem como pro mal, poderia ser a ação/reação de uma outra pessoa, ou natureza, se manifestando sobre nossas vidas.

Alexandre disse...

"Por exemplo, seria você a mesma Lais se você tivesse nascido em outro local e em outra época? Teria você as mesmas possibilidades de destino que possui hoje ?"

Ah, isso é interessante. hehe. Sorte a minha se tivesse nascido na Alemanha.

Felipe "Miro" 'Dreads' disse...

Também partilho contigo essa mesma idéia... faço parte desses céticos.

Renata disse...

Já eu sou arrogante mesmo... ;)