sábado, 27 de março de 2010

O Caso Isabella Nardoni e algumas verdades

Casal Nardoni

Algumas vezes eu fico impressionado com a capacidade de como certos acontecimentos tem a capacidade de comover o público e mobilizar as pessoas. Nos últimos dias a bola da vez foi o caso Isabella Nardoni. Eu concordo que se trata de uma tragédia e que só há uma palavra capaz de definir esse fato: aberração. No entanto, algumas vezes eu fico pensando em quanto essas grandes tragédias individuais são comoventes para a sociedade enquanto tantos outros fatos que dizem muito mais respeito a sociedade como um todo não conseguem atrair tanta atenção da opinião pública.

É bem comum nessas tragédias, a participação de populares clamando por justiça em casos como o de Isabella Nardoni, do garoto João Hélio (aquele que ficou preso no cinto de segurança e foi arrastado até a morte em um roubo de carro) e do assassinato do Jornalista Tim Lopes por traficantes no Rio de Janeiro. Entretanto, não vemos essa participação popular em diversos outros casos que, em teoria, deveriam ser bem mais importantes do ponto de vista do bem comum.

Eu acredito que, por exemplo, casos de corrupção pública deveriam causar muito mais furor para a opinião pública do que o assassinato de uma criança por um monstro pai simplesmente por uma razão: corrupção mata muito mais do que uma criancinha, mata milhares. Pode parecer drama, mas aqueles milhões de reais que todos os anos deixam os cofres públicos para encher os bolsos, meias e cuecas de deputados e senadores, deixam de ser utilizados para fins como construções de hospitais, escolas e compra de equipamentos e medicamentos.

Em minha opinião, todo esse dinheiro que escapa através da corrupção está “assassinando” diversas pessoas diariamente, é uma pessoa que morre na fila de hospital outro que é morto por um jovem que por falta de oportunidades e de uma escola eficiente acabou caindo na criminalidade. Eu acho que milhares de vidas que são perdidas sistematicamente deveriam ser muito mais chocantes do que um caso de assassinato isolado. Independente da ausência dos requintes de crueldade utilizados nos assassinatos que comovem a opinião pública, a corrupção a meu ver é uma crime ainda mais hediondo.

8 comentários:

Welton Nogueira disse...

Você tem toda razão. Eu só vou soltar fogos quando os políticos corruptos começarem a ser julgados e condenados. E sem falar nas milhares de crianças que são assassinadas todo dia e ninguém nem liga. O povo só se comove com tragédia quando ela passa na Globo.

Sara Gwe. disse...

Poxa, Leonardo... Você capturou os meus pensamentos em relação ao caso Nardoni. Acompanhei meio que de longe os jornais noticiando que todos os dias pela manhã havia uma fila enorme de pessoas comuns para disputar uma vaga para assistir o julgamento. Depois assisti, boquiaberta, o advogado de defesa do casal levar um pontapé na bunda enquanto tentava entrar no tribunal. Fiquei chocada. Lógico, diante do fato, do crime, da brutalidade e da frieza, seria óbvio que gerasse a revolta na população. No entanto (lá vem polêmica), o que estas pessoas pensam que estão fazendo? Pegando ingressos para assistir a um circo de horrores? Ir à escola dos filhos reclamar pela precariedade do ensino ou ao congresso dar chutes nos corruptos ninguém quer não, né? Mais uma vez o povo se apega ao entretenimento. CSI brasileiro.

Mônica Wesley disse...

Como disse o Catalepsia Produtiva:
"Júri popular pra quê se quem deu o veredicto foi a TV? Caso Nardoni e sua repercussão escandalosa e desnecessária."
Eu sinceramente quando começavam a falar sobre o assunto, eu mudava de canal... Pq não gosto de circo.

"Uma palavra
Na tua camiseta
O planeta na tua cama
Uma palavra escrita a lápis
Eternidades da semana.."

Leonardo Xavier disse...

Sara, eu acho que é o velho caso do pão e circo, que a própria Mônica citou, para manter a população alienada e feliz. E eu acho bom se preparar que esse ano tem palhaçada, ops! eleição e Copa do Mundo.

Eliana Gerânio Honório. disse...

Leonardo, lamento...

Você tem razão.

Andrade disse...

Naturalmente um caso como o de isabella vai comover bem mais do que um grande desvio de verbas. Quando você está aprendendo um assunto novo, é mais fácil lhe mostrar um exemplo e depois explicar a teoria que esta por trás. Pra nós é bem mais fácil se comover com um caso real, com nome e sobrenome. Nós podemos nos colocar no lugar da mãe dela, pensar se fossem os nossos filhos. É mais complicado se por no lugar dos outros, sem um rosto, ou uma história especifica por trás. Não estou dizendo que é certo, só dizendo que é justificável.

Andrade disse...

ps: Só posto atrassado =D

Natália Bongiovani disse...

O que acontece é que a sociedade é cega. As pessoas esquecem que corrupção é sinônimo de crime.