sexta-feira, 5 de março de 2010

Eu sou José Roberto Arruda!

José Roberto Arruda

Sabe aquelas campanhas que passavam na TV, e algumas vezes diziam que o melhor do Brasil é o brasileiro, pois bem, eu discordo completamente. O povo brasileiro tem uma cultura, no mínimo exótica. É interessante perceber como o mesmo povo que se mostra indignado com a corrupção é o mesmo povo que pratica seus pequenos atos de ilegalidade no cotidiano. A cultura de corrupção no Brasil não é criada lá no Legislativo, no Judiciário ou no Executivo, infelizmente essa é uma cultura que está nas ruas, no nosso dia a dia e quem sabe até com status de instituição tupiniquim.

Sim, esse mau hábito algumas vezes se manifesta de maneira inocente naquela cultura de malandragem, onde as pessoas tentam dar um jeitinho de resolver as coisas na conversa mole chegando, em alguns casos, à ilegalidade propriamente dita: a propina para se livrar da multa de trânsito, o hábito de insistir em dirigir mesmo tento consumido bebidas alcoólica, aquele presentinho para agradar um funcionário público, as carteiras de identidade falsas para entrar em boates e as fraudes de carteiras de estudante.

Eu posso até parece simplista, mas são essas pequenas infrações que abrem as portas para outras contravenções maiores. Adicionalmente, do mesmo jeito que ocorre com a questão do lixo nas ruas, as pessoas costumam não ter noção do tamanho do impacto quando um grupo passa a cometer esse tipo de infração. Por exemplo, será que não poderíamos ter entradas de cinema e de shows mais baratas se não tivéssemos tanta carteira de estudante falsificada circulando? Será que esse tipo de oportunismo não infla os preços? Eu acho que sim, a indústria do entretenimento visa o lucro, se tem carteira de estudante demais e pessoas que deveriam pagar o ingresso completo e não o pagam, eles vão tirar essa diferença de algum lugar, ou seja, irão aumentar os seus preços e quem vai pagar provavelmente são as pessoas que fizeram a coisa certa. Resumo da opera temos ingressos de cinema que aos domingos custam praticamente o preço de um DVD em promoção e olhe que eu não estou contabilizando nem as pipocas.

Outro fato impressionante é a facilidade com que se apropriam do que é público, e eu não estou falando somente de deputados enchendo o bolso de dinheiro com seus peculatos e desvios de verbas, eu falo das pequenas lojas que usam a calçada como estacionamento “privativo para clientes” ou daquelas que expõem seus produtos invadindo as calçadas, bares e lanchonetes que nos obrigam a ter que descer do calçamento. E eu ao contrário do que as pessoas falam que é uma apropriação do bem público pelas pessoas que tem dinheiro.

Entretanto, ao contrário do pensamento mediano que só quem faz essas coisas é “gente rica” que sai impune por que tem dinheiro para corromper autoridades, a apropriação do espaço comum também é realizado por gente pobre também! Vide os flanelinhas que extorquem as pessoas, cobrando dinheiro para estacionar em via públicas(aqui no Recife esses tipos chegam ao cúmulo de te exigir R$5,00), e, sim, eu me recuso a usar outro vocábulo que não seja extorsão!

Sim, o Brasil é composto por uma sociedade permissiva que pratica corrupção e ilegalidade em todas as suas camadas, sem distinção social, de classe ou de cor. E o pior que quando eu estava escrevendo esse texto me veio a cabeça uma cena de “V de Vingança”, onde as pessoas saem as ruas mascaradas idênticas ao protagonista do filme, mostrando-se comovidas com a ideologia do herói. Todas conclamando:"Eu sou V!". Eu acho que o brasileiro é meio assim com a questão da corrupção, já se identificaram com ideologia, só faltam as pessoas saírem vestidos a caráter imitando um ícone dessa ideologia nefasta e bradando ser esse ícone. Enfim: eu sou José Roberto Arruda, você é José Roberto Arruda, nós somos todos José Roberto Arruda!

11 comentários:

Fernanda disse...

concordo com vc..seu texto me lembrou uma frase que meu professor de Sociologia disse:"todos nós somos corruptos"

Welton Nogueira disse...

De fato, não há ditado mais certo do que "o costume de casa vai a praça~" ou "é de pequenino que se torce o pepino".

- sáminina. disse...

O problema do país não são os políticos; É tudo culpa desse "jeitinho brasileiro", que transforma a corrupção - em TODOS os âmbitos - e algo extremamente normal e simplório. Botei fé demais no post.

Luiz Mussio disse...

eu concordo plenamente. Nossos representantes no poder estão "representando" muito bem a nossa cultura...o "se dar bem a qualquer custo" sempre prejudica alguém, por isso o pensamento tem que ser "dessa vez quem se ferrou foi ele, mas a próxima posso ser eu".

Raquel Castro disse...

Não acho que os políticos roubam porque isso faz parte da cultura. Não são todos os brasileiros que são malandros e desonestos. Acredito que o que move os políticos para a direção errada é o descaso do povo. Tentando ser mais clara: o povo sai no tapa por um ingresso de final de campeonato de futebol, mas esquece rapidamente de escândalos na política. Por que isso acontece, porque o povo é malandro? Não, porque o povo não está nem aí.

Gostei do blog! :D

Leonardo Xavier disse...

Ah Raquel, eu não acho que seja uma simples questão de causa e efeito mas a verdade é que queiramos ou não boa parte dos políticos um dia já foram cidadãos, e eu acho que essa cultura de lei da vantagem se propaga. Se antes dava para subornar um guarda, agora ele tem condições de subornar um juiz. Se antes ele desviava centenas de Reais, agora ele passa a desviar milhares ou milhões. Se fraudava carteiras de estudante, ele passa a criar empresas laranjas.

No entanto, eu acredito que o descaso da população com o que é público realmente existe, seja fiscalizar seus representantes seja com o pratrimônio público propriamente dito.

Lah disse...

concordo com vc
o Brasil é aquela coisa do "jeitinho brasileiro" de resolver os problemas é questão cultural.
começa em quem vende voto, e em péssimos politicos.
mas como vc disse, ñ é só na politia, assim como tem gente q falsifica carteira de estudante tem estudante que ñ precisa e consegue boas bolsas de estudo, ja vi, muito, ter sempre roupadas de marca e ir com carro importado e aparecer no mural da fraculdade que foi aprovado numa bolsa de estudos q paga 75% da faculdade, isso tbm é corrupção

odeio o "jeitinho brasileiro"

uma ótima semana para vc...

Sara Gwe. disse...

É, Leonardo... a cultura do jeitinho brasileiro é terrível e reconhecida internacionalmente. Os prazos nunca são reais, pois dependerão da vontade de alguém: "15 dias? E se eu te der uma forcinha vc me dá uma forcinha?" Pronto!

E os políticos não são reflexo disso, mas são brasileiros e atuam em âmbito muito maior! Fazem nossos mesmos delitos e deslizes, mas em outra escala... e continuamos embasbacados vendo-nos no espelho da vergonha, mas damos um "jeitinho" e sublimamos tudo, relegando a vergonha prum lugar esquecido da memória.

Jose mendes disse...

Não sei,mas senti aqui um cheiro de Hipocrisia que beira a comédia...
De certo não concordo com o "jeitinho Brasileiro"! No entanto que disse que esse jeito é puramente Brasileiro?!
Quem dos que comentaram acima, inclusive o autor, não possui ao menos um software pirata em casa? E se baixou uma versão em Inglês provavelmente não é de um servidor Brasileiro. Ou quem nunca baixou uma série pela Rapdshare ou Megaupload?!está certo Sr. Autor, o que acabei de falar somete corrobora com o seu pensamento.

Mas......

A lei da vantagem é intrínseca ao ser humano!!! Faz parte do caráter tanto quanto qualquer outra "habilidade". A diferença é como você controla essa "habilidade" e suas conseqüências. Se eu sou mais forte, é obvio que eu tentarei colocar "queixão", mas partir pra agressão?! Ai é outra estória. Logo não se pode usar essa desculpa pra crucificação do povo brasileiro por "ser" o incubador maior da corrupção.

A china por exemplo, é lider em pirataria na plataforma Iphone, seguida por Rússia, Brasil e mais NOVE, EU DISSE NOVE países da EUROPA!!! E olhe que lá na China(são mais corruptos que o Brasil) tem paredão com balas pagas pela mamãe e os tanques passam por sobre a paz celestial.

Como resolver? Não tenho a mínima idéia. Mas se é pra fazer sucesso, e vender disco de protesto, eu também vou reclamar.

Leonardo Xavier disse...

Eu acho que se você ler o texto, eu não estou me isentando de fazer parte da sociedade e minha crítica não é contra a existência de corrupção, ela existe aqui, existe na China, existe na Rússia, países da Europa. No entanto, eu acredito que no Brasil há uma cultura de corrupção onde as pessoas justificam suas pequenas ilegalidades, seja através de eufemismos ou justificativas.

Jose mendes disse...

Acho que se você ler o meu comentário, vai perceber que eu li o seu texto. E que nele tento dizer que essa cultura não exclusividade do Brasil. Mas sim uma particularidade do ser Humano. Acho que não consegui ser claro, por isso não sou blogueiro.