sábado, 20 de fevereiro de 2010

"Live and let die"


Depois de ter feito o texto anterior sobre o excesso de expectativas, eu fiquei pensando o quantas vezes também acontece o contrário em relacionamentos que vêm durando de longas datas. Parece que existem pessoas que não possuem mais expectativas relativas a um dado relacionamento e no, entanto, insistem em perpetuar aquele relacionamento simplesmente por inércia.


Em geral esse fato se dá de diversas maneiras. Num primeiro caso, as pessoas mesmo sentindo-se insatisfeitas com a relação não põem um ponto final e continuam com seu relacionamento estável e saem por dando uma escapulida ali, outra acolá, como se estivesses simplesmente fazendo “test drives” para um relacionamento futuro.


No entanto, a meu ver, é ainda mais estranha a situação das pessoas que se relacionam com as pessoas descritas anteriormente. Pois eu até vejo certa lógica no comportamento das pessoas que saem por aí aprontando com o outro, pensando só em si mesmo sem se preocupar com os outros. No entanto eu não consigo entender por que as pessoas se sujeitam a se manter submissas em certos relacionamentos, onde se percebe que não há mais admiração e respeito do outro para consigo?


E o que eu acho ainda mais fascinante são as respostas das quais se utilizam para manter-se nessa situação. Eu acho que a mais comum é: “Eu já estou junto com a fulana a 2 bilhões de anos”. Como se houvesse um programa de milhagem, daqueles utilizados por companhia a aéreas, nos relacionamentos.


Ok, eu até concordo que um relacionamento saudável pode se tornar melhor com o passar do tempo. Entretanto, eu não acho que a passagem do tempo seja o parâmetro principal para medir um relacionamento. Eu acredito, que talvez as pessoas vivessem melhor se elas aceitassem que a realidade é dinâmica, assim como o são os relacionamentos. E, estes, por sua vez podem deteriorar-se com o passar do tempo e que talvez a melhor coisa fazer seja partir ou deixar o outro partir.

8 comentários:

Fernanda disse...

acho que o que acontece,é que o que os ligam é uma especie de acomodamento,e não terminam por medo de se arrependerem depois...

Cafeína disse...

Poxa, estava comentando tudo isso neste feriado. Qual será o momento em que as coisas começam a acabar num relacionamento duradouro? Por que deixamos esfriar as coisas? O amor acaba mesmo? Tantas dúvidas na teoria... e na prática o que temos é sempre essa situação de rotina... papo pra horas e horas rs
Adoro ler homens comentando sobre isso... cansada de ler e ouvir mulheres sempre com o mesmo ponto de vista.

bjo

Anita disse...

Eh, a pergunta que nunca cala pra mim é: Pq sempre esfria? Sempre esfriou... Isso é muito ruim...

Raquel Farias disse...

Essa parte da milhagem foi ótima. Também penso assim. Acho que é relativo essa questão de tempo. Mas a gente só entende que ele não conta muito, após algumas experiências. Meu namoro mais longo durou 3 anos. E embora tivesse toda aquela coisa meio imatura - que me levasse a achar que marcaria mha vida - hoje, vejo que nem foi tão importante no geral. O mais significativo foi um que durou 1 ano. E pra mim, acho que o que conta mesmo num relacionamento não é o tempo e sim o sentimento e a relação que se teve. Diante disso o tempo é detalhe.
Acho que é como a Fernanda falou no 1º comentário e como vc mesmo mencionou. A questão é o medo de se arrepender depois e o costume. Aquilo se torna tão rotineiro que a pessoa não consegue pôr fim. O ruim tb é estes "test drives", porque acaba envolvendo uma terceira pessoa que, em alguns casos, acaba sendo vítima nesse bolo todo.

Ps.: que bom que agora há um meio de contato. Pode ter certeza que qualque coisa eu aviso. E acho que sem essas letras é bem mais cômodo ;)

Rachel Chagas disse...

Meu Deus, quanto tempo que não passo por aqui e, olha só que surpresa (!!!), de layout novo!!
Viu? você disse que não achava um, eu achei esse simplesmente PER-FEI-TO!
Te confesso, Leonardo, que não li nenhuma postagem desde o "cai, cai balão", vim aqui por que tava vendo meu blog lá, e vi seu comentario...
Obrigada mesmo pela força, já já minha vida muda e a antiga Rachel vem bombando por aí! Assim, até eu esperooo!!

Bom, quando eu tiver mais animada até pra fazer um comentario decente, prometo que vou ler tudo, até por que, adoro suas postagens!!

Um beijo, fique com Deus e, obrigada de novo!

Lah disse...

Mudou de visual? layout ficou muito bom, e bem "LIMPO" nada muito carregado, eu não entendo também, tenho amigos que estão "namorando" a assim 2 anos ou mais, mas sempre que possivel traem, mas amam as mulheres, e ñ entendo, o discurso das outras assumidas é sempre o mesmo, "é natural do homem trair" mas se fosse somente dela ñ iria curtir,...
acho que um relacionamento para ser bom tem q ter muita reciproca, e se ñ der certo? bom, bola para frente é só tentar de novo, e amar sempre como se fosse primeiro e unico.
muito boa sua reflexão

uma ótima semana para vc bjs

Paula disse...

Amore, site para compra de livros mais em conta:

www.estantevirtual.com.br

Amei o seu layout tb, viu? E sobre o seu texto, concordo com a Lah! =oP
Beijos

Luiz Mussio disse...

Ola...esse assunto é realmente fascinante, e acho que nossa abordagem precisa ser revista, as pessoas buscam relacionamentos e medem o sucesso ou fracasso dos mesmos como se fossem investimentos financeiros, com lucros, prejuízos e tudo mais...acho que isso por si só já levam qualquer relacionamento pro buraco mais cedo ou mais tarde, pois os compromissos que um relacionamento exige são muitos e problemas são inevitaveis, então as pessoas se deixam levar pela eterna ilusão de que poderiam ser mais felizes em uma outra relação, o que não é verdade, já que todos os relacionamentos terão altos e baixos(muito mais baixos do que alto se a pessoa não estiver disposta a se esforçar vale lembrar)