domingo, 28 de fevereiro de 2010

Internet e a Natureza humana


A internet é algo que me muitas vezes me faz pensar sobre a natureza do ser humano. Aparentemente a internet é uma enorme fonte de informações além de ser como um meio para que as pessoas possam colaborar, construir conhecimento e trocar informações, ou seja, uma possibilidade para seres humanos se agregarem e construírem um mundo melhor. No entanto a pessoas se prendem a certos hypes sensacionalistas do momento. Sejam eles fotos das tragédias no Haiti, o filme da Orca atacando a treinadora no Seaworld, as fotos da Tessalia do BBB 10 na Playboy, fotos do terremoto no Chile, chegando ao cúmulo o pega bestas golpe do Orkut Ouro, sem trocadilhos por favor.


No entanto, eu estaria sendo injusto se eu não lembrasse que existem bons projetos na internet, bons fóruns de discussão sobre os mais diversos temas, bons sites e blogs com conteúdo variados, desenvolvimento de softwares livres, ativismo de diversas ONGs. No entanto a verdade é que a maioria dos usuários realmente utiliza a rede mundial de computadores para acessar páginas sem conteúdo.


Um outro ponto da natureza humana que a internet sempre revela é: a quantidade de gente que acredita ser mais esperta do que realmente é. E haja gente besta ingênua caindo em golpes quando tenta arrumar modos “alternativos” de ter acesso a TV a cabo, acessando páginas do tipo como hackear Orkut, facebook, ou como fazer Jailbreak do I-Phone 3GS.


Tudo isso quando as pessoas poderiam estar acessando informações com conteúdo, colunas de grandes revistas, crônicas, palestras realmente interessantes no TED, baixando alguns clássicos da literatura gratuitamente e de maneira legal, dentre outras coisas. E tudo isso me faz pensar se é essa é nossa verdadeira essência? Será que somos todos essas criaturas sedentas por trapacear, assistir a miséria alheia e espionar a vida dos outros? Até quando vamos continuar nos interessando por ver flagras da Luana Piovani/Daniela Cicarelli na praia? Fotos de cadáveres de vítimas de chacina? Até quando as pessoas continuarão alimentando essa curiosidade mórbida?

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Por que o Amor acaba?

Num dos últimos posts surgiu o seguinte questionamento: Porque o amor acaba? A verdade, pelo menos eu acredito, é que não haja uma resposta definitiva para essa questão. No entanto eu acredito que ter algumas teorias que possam ajudar a entender um pouco.

Uma delas diz respeito ao modo como nos apaixonamos. Já reparou quantas vezes não nos apaixonamos por razões estúpidas? Não, não adianta querer negar. É a mais pura verdade! Quem nunca se sentiu atraído por alguém devido a um pequeno detalhe? Aquele olhar diferente, certo modo de sorrir, um jeito charmoso de falar, ou mesmo uma idéia fascinante. O fantástico é como esquecemos que junto com esse pequeno detalhe vem toda uma história de vida.


Waleska Popozuda Playboy

-Alguns detalhes não são tão pequenos assim...


Igualmente fantástica é a nossa capacidade de criar todo um mar de sonhos, fantasias e idealizações para jogar em cima do nosso objeto de desejo. Aí está todo aquele conjunto de expectativas projetadas num ser humano e tudo isso começa a entrar em conflito com o ser propriamente dito, que provavelmente deve ter muito mais defeitos do se imagina. Então começam a ocorrer as comparações e frustrações, decorrentes das tentativas, sempre vãs, de transformar o real no ideal.


Outro fator que eu acho que é relevante e desgaste bastante os relacionamentos é a falta de sedução. Já reparou como a maioria das vezes as pessoas seduzem até conquistar o outro. Mimos para lá, para cá, gentileza e cortesias, mas uma vez que o relacionamento se tornou estável então se passa a sentir dono do outro. E eis que surge um dos piores erros, acreditar que os sentimentos são um status permanente, quando na verdade é essencial cultivá-los. Muito pelo contrário, ao invés de cativar continuamente o outro, passam a policiar de maneira constante.


Juntando essa falta de atenção, com a repressão, e confronto entre o ideal e o real fica fácil de prever o placar do jogo: Hollywood sai perdendo e as tragédias gregas dominam o jogo. Aí tudo que resta é juntar os limões que sobraram e fazer uma limonada.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Sarah Silverman e as pessoas retardadas!

A comediante Sarah Silverman, durante um show no TED, depois de ter feito uma piada onde zombava do fato de celebridades que adotavam crianças com deficiência mentais foi altamente. Por usar o termo politicamente incorreto e chamar essas crianças de retardadas numa piada onde ela dizia que iria adotar uma criança retardada e doente terminal para se livrar do trabalho logo.

Enfim tudo isso me faz pensar em quanto essa onda do politicamente correto pode ser chata e por que algumas pessoas levam tão a sério quando um comediante faz uma piada politicamente correta e, no entanto, você não essas pessoas todas se manifestando nas horas que realmente se apresenta necessário que alguém se manifeste. E eu fico pensando em como as pessoas e algumas instituições levam tão a sério os comediantes que fazem graça e muitas não levam a sério a realidade que as cerca.

Eu acho que boa parte dos personagens que divertem as pessoas no Terça Insana, por exemplo, são caricaturas de diversas pessoas pertencentes a uma minoria ou um grupo que sofre pré-conceito da sociedade temos: o transexual Terezo, Imigrante Boliviano vendedor de drogas e a bichinha.

Em minha opinião, as pessoas deveriam em vez de estar pegando no pé de uma simples comediante realmente lutar, pressionar, escrever cartas e realmente procurar dar condições as pessoas que fazem parte de certas minorias sejam elas: homossexuais, deficiente mentais, obesos, mulheres. Enfim retardado, a meu ver, não são as crianças portadoras de deficiência mental, pra mim retardada é essa gente que fica se manifestando contra uma piada e não faz nada para mudar o pré-conceito que existe de verdade.

sábado, 20 de fevereiro de 2010

"Live and let die"


Depois de ter feito o texto anterior sobre o excesso de expectativas, eu fiquei pensando o quantas vezes também acontece o contrário em relacionamentos que vêm durando de longas datas. Parece que existem pessoas que não possuem mais expectativas relativas a um dado relacionamento e no, entanto, insistem em perpetuar aquele relacionamento simplesmente por inércia.


Em geral esse fato se dá de diversas maneiras. Num primeiro caso, as pessoas mesmo sentindo-se insatisfeitas com a relação não põem um ponto final e continuam com seu relacionamento estável e saem por dando uma escapulida ali, outra acolá, como se estivesses simplesmente fazendo “test drives” para um relacionamento futuro.


No entanto, a meu ver, é ainda mais estranha a situação das pessoas que se relacionam com as pessoas descritas anteriormente. Pois eu até vejo certa lógica no comportamento das pessoas que saem por aí aprontando com o outro, pensando só em si mesmo sem se preocupar com os outros. No entanto eu não consigo entender por que as pessoas se sujeitam a se manter submissas em certos relacionamentos, onde se percebe que não há mais admiração e respeito do outro para consigo?


E o que eu acho ainda mais fascinante são as respostas das quais se utilizam para manter-se nessa situação. Eu acho que a mais comum é: “Eu já estou junto com a fulana a 2 bilhões de anos”. Como se houvesse um programa de milhagem, daqueles utilizados por companhia a aéreas, nos relacionamentos.


Ok, eu até concordo que um relacionamento saudável pode se tornar melhor com o passar do tempo. Entretanto, eu não acho que a passagem do tempo seja o parâmetro principal para medir um relacionamento. Eu acredito, que talvez as pessoas vivessem melhor se elas aceitassem que a realidade é dinâmica, assim como o são os relacionamentos. E, estes, por sua vez podem deteriorar-se com o passar do tempo e que talvez a melhor coisa fazer seja partir ou deixar o outro partir.

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

"Navegar é preciso, viver não é preciso"



Algumas vezes certas situações se tornam insuportáveis. E um homem percebe que é preciso mudar a sua vida, não me refiro só ao fato de como ele enxerga a realidade, mas do modo que ele interage com a mesma. Talvez seja uma dessas fases na minha vida, eu sinto que eu preciso mudar muitas coisas a respeito de como eu tenho encarado a vida e, adicionalmente, o modo como eu tenho agido. A impressão que eu tenho é que os caminhos que eu tenho trilhado tem me levado para caminhas cada vez mais distantes daquilo que eu realmente esperava fazer, e isso de certa tem resultado em grandes frustrações.

Eu sinto que tenho que abandonar o caminho, que tenho trilhado e seguir adiante, mesmo que talvez tenha que passar por mares tempestuosos, por que ao ver o que me espera no fim do caminho que tenho seguido, eu me sinto completamente miserável. E por mais que aos olhos de outras pessoas, essas oportunidades que eu tenho tido possam parecer excelentes e confortáveis, a verdade é que as perspectivas que elas projetam fazem-me sentir o mais miserável dos homens na face da terra.

Eu sinto que é preciso abandonar tudo e recomeçar. E por mais louco e perigoso que isso possa ser, esta me parece ser a atitude mais honesta. A necessidade de mudar parece urgir e a mudança e o aprendizado decorrente delas é algumas vezes por demais dolorosos, sim aprender realmente dói, em certos casos dói até demais. Entretanto, existem certos pontos na vida que é preciso abandonar o conforto e ir de encontro às tempestades, pois só assim se pode chegar a novas terras. Por que talvez seja melhor o risco de naufragar do que a frustração de nunca ter navegado.

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Layout Novo!

Eu tenho andado a procurar novos layouts para o "Discordando do Mundo". Resolvi tentar esse aqui que eu encontrei no Deluxe Templates. Eu acho que ainda não é exatamente o que eu gostaria, mas resolvi me arriscar na mudança.

ps: Os botões no cabeçalho para os links de assinar os feeds para comentários e postagens não estão funcionando muito bem no google chrome, então eu também deixei o widget na barra lateral, pois eu vivo numa realidade paralela onde todas as pessoas são tão entusiastas das ferramentas do google quanto eu!

domingo, 14 de fevereiro de 2010

Carnaval 2010

José Roberto Arruda
- Deviam fazer um samba enredo Sobre Corrupção!

Eu acho que o mais interessante no carnaval 2010 é o fato do Governador José Roberto Arruda passar os feriados de carnaval na cadeia devido a sua prisão preventiva, por sinal é algo tão raro ver um político brasileiro ser encarcerado por mais corrupto que esse seja. Eu acho que o fato é tão raro que tem atraído curiosos.

Apesar de eu acreditar que muito provavelmente se arruma alguma brecha legal que solte o Arruda. Ao que parece o programa Pizza para todos do Governo Federal, que foi adaptado pelo Sr. José Roberto Arruda como Panetone para todos em âmbito estadual, apenas apresentou uma dessas falhas comuns aos serviços públicos brasileiros. Serviços estes que sempre apresentam uma taxa menor de eficiência as vésperas de feriados e datas comemorativas.

No entanto me alegra ver que a justiça brasileira decretou a prisão preventiva desse elemento, ainda que isso dure só até a quarta-feira de cinzas, quando a Justiça brasileira muito provavelmente irá despir a fantasia de órgão público eficiente e então o Sr. José Roberto Arruda sairá por aí, andando calmamente com sua fantasia de homem íntegro e político honesto.

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Projeções

Projeções


As idéias algumas vezes ficam martelando na minha cabeça repetidamente. Dessa vez o que ficou a malhar a minha consciência mais do malham o Judas na semana santa foi o fato de como criamos expectativas exageradas a respeito de relacionamentos. Eu acho que hoje em dia não só desejamos a perfeição no outro, nós praticamente exigimos isso.

É só perguntar a qualquer desses seus amigos que estão solteiros por opção o que eles esperam de um companheiro ideal. Muito provavelmente, independente de dos gostos ou preferências provavelmente eles irão descrever uma pessoa ideal, ou seja, que pertence somente ao mundo das idéias. E venhamos e convenhamos o mundo real é apenas um reflexo distorcido do mundo das idéias. Fugindo um pouco do tema já parou para perceber como certos conceitos como um material puro não existem de verdade, por que você nunca consegue isolar totalmente aquilo que você deseja e por mais que se tente sempre haverá uma parte ínfima de impurezas. Eu acho que é aí que reside o problema do relacionamento ideal, ele não existe.

Alguma vez você já pensou o quão pesada seria a tarefa de ter que se enquadrar perfeitamente na projeção que alguém fez de par romântico ideal? Faça o teste tente bancar o homem ou a mulher ideal da pessoa que você gosta Eu acho que muito provavelmente isso ia representar a anulação total de diversos traços da sua personalidade.

Do meu ponto de vista seria algo meio Missão Impossível II bastante frustrante. Principalmente devido ao fato de ninguém realmente desejar ser perfeito e provavelmente mesmo que desejasse ele não conseguiria alcançar esse feito. E aí que está a parte mais egoísta desse ponto de vista desejar e exigir do outro que ele seja infalível com você, enquanto o que você mais deseja para si é alguém que goste de você do jeito que você é. Eu acho que a maioria dos ideais de relacionamento se baseia nesse fato hipócrita de desejar que o outro seja infalível para com você, enquanto se espera que o outro lhe aceite exatamente como é sem alterar um único fio de cabelo.

Eu acho que as conseqüências se tornam meio óbvias: o outro vira uma tela onde nós simplesmente projetamos todas as nossas idealidades e sonhos de perfeição e depois acabamos todos reclamando.

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Cai Cai Balão

Bem nesse fim de semana a maldita operadora de internet fez o favor de me deixar sem conectividade e tudo isso me fez ver o quanto estamos cada vez mais ligados na rede mundial de computadores. Eu costumo dizer para meus amigos que eu tenho abandonado alguns outros meio de comunicação. A televisão está praticamente sendo abolida da minha vida. Eu tenho trocado os noticiário de TV por feeds de Jornais que eu tenho gerenciado via Google reader. E tem sido bastante cômodo para mim, no entanto eu com o problema da minha internet eu me senti bastante frustrado de passar o fim de semana longe das notícias. Na verdade, eu também costumo ler algumas revistas que o que mantém um pouco menos dependente somente de feeds.


No entanto tudo isso tem me feito refletir como a TV se tornou algo totalmente desinteressante para minha pessoa. Eu acho que pela falta de capacidade de se filtrar informações nesses meios. Por exemplo, se você tem interesses em informações sobre a quantas anda a política nacional, numa semana onde ocorreu uma grande catástrofe, por exemplo, o terremoto no Haiti, dificilmente você vai obter as informações que te interessam na TV, em especial se você não possuir assinatura de TV a cabo, o que é o meu caso. Eu acho que isso sempre foi algo mais fácil para no caso da linguagem escrita, mesmo se tratando de uma mídia em broadcast tipo um jornal onde os exemplares para todas as pessoas são iguais é fácil filtrar o conteúdo que você quer ler na hora ou o que você quer ler depois, ou o que você não quer ler de jeito.


No entanto, quando precisávamos de algo multimídia em geral não era tão fácil assim filtrar informações. Tomemos o caso de um telejornal, você não tem a mesma facilidade que uma mídia escrita como o jornal comum para filtrar que informações você gostaria de assistir. Portanto acabamos sendo obrigados a acessar as informações num nível mediano e as informações a serem repassadas, necessariamente serão selecionadas de acordo com interesse médio das pessoas e pode ser que no seu caso específico seja interessante uma abordagem mais profunda daquele tema.


Esse é um dos motivos que me faz ver a internet como a mídia do futuro por que agora passamos a ter a capacidade de escolher que tipo de informação disponível nós iremos acessar ou não. E tudo isso de acordo com os nossos interesses.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Revolução feminista!

Pin up Feminismo

Eu sei pode parecer estranho, um homem falando sobre revolução feminista, mas a verdade é que esse texto da Raquel Farias me deu inspiração para escrever da revolução feminista a partir do ponto de vista do inimigo sexo oposto. Enfim vamos as idéias.

Uma das coisas que eu mais percebo nesse mundo pós-revolução feminista é que os homens estão cada vez mais “mulherzinhas” e as mulheres cada vez mais “machos”. Eu acho que sem sombra de dúvidas, hoje elas disputam vagas no mercado de trabalho de igual para igual com qualquer marmanjo, elas também conquistaram liberdade para exercer sua sexualidade livremente e conquistaram o direito de tomar iniciativa.

No entanto, eu creio que as mulheres ainda apresentam muitos comportamentos contraditórios, apesar de terem conquistado todos os direitos acima, elas ainda estão muito apegadas aos antigos modelos românticos de relacionamento. Eu acho que apesar de todo modernismo as mulheres ainda buscam a figura mística do príncipe encantado. Atualmente atualizado com o apelido de “o cara”. E venhamos e convenhamos, qual a mulher moderna que não tenha lá os seus sonhos com os cavalheiros à moda antiga?

Sim, elas podem até não admitir, mas eu creio que elas gostam quando se puxa a cadeira para sentar num restaurante, ou quando ajudam a donzela em apuros com um pneu furado e mesmo como mulheres modernas elas ainda adoram ganhar flores e que o rapaz se ofereça para pagar a conta num primeiro encontro, mesmo que sendo mulheres modernas elas não aceitem tal cortesia. E ai do pobre mancebo se não seguir a risca a etiqueta, acaba mal falado!

Eu também não concordo com a visão feminina que todas essas mudanças foram benéficas para os homens, que agora como está muito mais fácil conseguir sexo os rapazes fogem dos relacionamentos como o diabo foge da cruz e que as outras mulheres que exercem sua sexualidade não se valorizam e tudo mais. Eu até acredito que alguns caras realmente estejam só em busca disso, mas eu acho que na verdade,por mais que não pareçam, os homens ainda são seres humanos, e como tal também possuem sentimentos e sempre buscam um relacionamento completo.

E todas essas mudanças na mulher moderna também resultaram em mudanças no comportamento masculino, eu acredito que o homem busca desenvolver mais o papel de companheiro que apóia a mulher (procurando ajudá-la a alcançar seus sonhos), que divide as tarefas domésticas, que participa mais das atividades familiares e do cuidado com os filhos. De certa, forma o homem durão, do tempo dos nossos pais foi obrigado a dar lugar a um homem moderno mais sensível e companheiro. Alguns exageraram demais na dose de sensibilidade, acabaram virando metrossexuais e hoje tem discussões de relações gravíssimas para saber quem gastou o creme para cabelo todo!

No entanto, eu acho que a tendência é que as relações estejam caminhando para um ponto de equilíbrio dos papeis de cada um dos sexos dentro do relacionamento. E eu acho que no geral ele tem sido bem equilibrado, enquanto as mulheres conquistaram liberdade sexual e profissional, os homens estão mais livres do ponto de vista sentimental. E eu sinto que com todas essas mudanças, eu acho que ambos os lados têm feito muitas conquistas e tido mais oportunidades de se desenvolver nos diferentes aspectos da vida, sejam eles sexuais, sentimentais, profissionais e familiares. No entanto, eu acredito que as expectativas de ambos os lados quanto ao relacionamento têm sido bastante inflacionadas, mas isso fica pra outro post!

ps: Eu tinha esquecido de linkar o texto da Raquel quando postei ontem a noite.