quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Silêncio...


Sentado na poltrona da sala com a TV desligada e sem ninguém em casa, todo o ruído que consigo escutar são as folhas das árvores balançando lentamente que vez ou outra é interrompida pelos carros que passam lá fora, rodando lentamente no asfalto.

Eu sinto uma brisa suave entrar pela porta e no meu espírito se aloja aquela sensação mista de cansaço e marasmo, típica do fim dos dias de folga que foram vazios e pouco atribulados. Nessas horas parece que o silêncio cresce e faz com que os cômodos parecem enormes e ainda mais vazios. E coincidentemente parece que o espírito segue os mesmos passos, fazendo com que o silêncio se torne, minuto a minuto cada vez mais pesado e penoso.

Nesses momentos, aparentemente, tudo que se espera é uma perturbação que surja e acaba com essa atmosfera. Em geral, uma ligação ou visita inesperada a tocar na campainha. No entanto aquele silêncio que torna tudo tão vazio insiste em permanecer por ali, a contaminar todo o cômodo. Nem mesmo os barulhos do relógio na cozinha são capazes rompê-lo, eu fico ali parado a observar e apesar de tudo mantenho meu voto de silêncio, e o vazio segue se tornando cada vez mais denso, denso, denso...

Enfim me decido, levanto repentinamente, ligo a televisão e assito ao modo como toda aquela atmosfera se dissipa...

8 comentários:

- sáminina. disse...

quando isso acontece eu coloco o album "Pearl" da Janis Joplin pra tocar no último volume e danço! hahaha. Cindy Lauper também serve :)

Mônica Wesley disse...

"Toda vez que me falta luz, o invisivel me salta aos olhos..." Sei q estamos falando de sentidos diferente, vc da audição e nessa música da visão, mas creio q o significado seja o mesmo. Eu aproveito esses momentos, q não são raros pra mim que moro sozinha, pra analisar alguns pontos da minha vida... e na maioria das vezes eu chego a alguma conclusão a alguma idéia q eu não tinha percebido antes... =***

Luiz Mussio disse...

é muito dificil aguentar o silencio..nossa geração pode não se dar conta, mas estamos em constante fuga do silencio, momento que não temos como nos ignorar...

Leonardo Xavier disse...

Eu arriscaria dizer que o silêncio é tudo que você precisa, mas muitas vezes não quer.

- sáminina. disse...

Ah, mas não acho que seja tão extremo assim Leonardo. É que depende do momento. Tem horas que a gente não quer silêncio de jeito nenhum, tem horas que o silêncio é tudo que precisamos. É gostoso ficar em silêncio pensando na vida, ou simplesmente não pensando em nada :)

- sáminina. disse...

p.s: Quanto ao comentário no meu blog, foi uma amiga que fez o mural pra mim, naqueles programas de design gráfico. :)

Lais Castro disse...

Oi Leonardo, vai lá no "Pátria Amada", ver a resposta sobre a bandeira do Recife... resolvi colocar lá, pois complementa as informações do post. Aliás, a resposta daria um outro post! (risos)
Abraço.

Lais Castro disse...

Ah! sobre o silêncio, te digo que, muitas vezes, ele é muito bem-vindo!