domingo, 24 de janeiro de 2010

O Campeão de Dominó do Bairro

Honestamente algumas vezes eu fico pensando a respeito de certos títulos que as pessoas podem obter e qual a verdadeira importância disso e como as pessoas agregam certa importância a esse tipo de besteira. Eu acho que a mesmas coisas valem para certos produtos.

Porque eu estou falando nisso? Eu estava nos meus passeios pela internet procurando notícias e topo numa propaganda onde um celular se gabava de ser o primeiro celular transparente, e o pior que na verdade o aparelho tinha apenas um teclado deslizante transparente. E eu me pergunto, ora diabos qual a vantagem de ter um celular transparente?

Realmente, existem certos feitos realizados por fabricantes para chamar atenção que eu realmente não compreendo... Talvez algo que realmente possa ser incluído nisso são os sabores que se dão aos macarrões instantâneos, sou só eu alguém não consegue diferenciar os sabores “frango”, “frango caipira” e “frango com legumes”? Eu acho que esse tipo de produto só pode ter um sentido: arrumar mais espaço de exposição nos supermercados e aumentar a visibilidade da marca.E quanto a outras coisas igualmente supérfluas e desnecessárias, tipo papel higiênico colorido e perfumado... Não precisa nem explicar porque é inútil, não é?

No fim eu acho que essas coisas são todas tão inúteis quanto o título de campeão de dominó da pracinha do seu bairro.

7 comentários:

Fernanda disse...

concordo com vc,até por que isso não leva a gente a nada...

Andrade disse...

Auto lá!
Ser campeão do torneio de dominó aqui da rua né pra qualquer um não!

Dá prestigio, fama e sexo não necessariamente nessa ordem

Blog do Professor Graciano Arantes disse...

A do papel higiênico foi demais kkkkkkkkkkk

Daniela Ramalho disse...

Aqui não existem essas variedades de frango no macarrão, têm que importar do brasil :P
Sim, às vezes existem produtos sem qualquer tipo de utilidade que as pessoas compram compulsivamente por causa do marketing... é muito estranho.

Raquel Farias disse...

Rapaz, eu nem me animo com títulos. Há anos luto arduamente pra conseguir uma graduação e me sentirei muito feliz só com isso. Até porque eu nunca ganhei nem campeonato de cuspe à distância.

O texto é ótimo! Engraçado e instigador!
E o papel é só pra dar aquela enganada. Vou patentear um com aroma de hortelã. Já pensou? Cheiro, cor e frescor!

Rachel Chagas disse...

Pior que coisas inúteis, são as sem noção. Outro dia li sobre um japônes (chinês, coreano, não sei mais) que tem um problema que dificulta o seu crescimento (tem 21 anos, mas o rosto, corpo e tamanho são de um bebê de no máximo dois anos). No entanto, inventaram uma forma (acho que um tipo de droga) que poderia auxiliar no seu crescimento, tipo 12 cm por ano.
Cê acredita, Leonardo, que ele estava na dúvida se tomava ou não, por que queria entrar pro Guiness.
Pelamor, né?!
Cada doido!

Leonardo Xavier disse...

Sim, Rachel é realmente absurdo certas coisas que as pessoas fazem a fim de entrar no livro dos recordes!