quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Isto é uma vergonha!

No fim de ano ocorreu um episódio que a meu ver foi bastante infeliz para o jornalismo brasileiro, onde o apresentador Boris Casoy fez alguns comentários pré-conceituosos após terem encerrado o telejornal com garis desejando feliz ano novo.

Depois disso tudo eu parei para refletir a respeito de quantas vezes adotamos essa mesma atitude pré-conceituosa e em como nossa sociedade é dividida em castas talvez não determinadas pelo nosso nascimento, mas por quanto dinheiro ou status nós possuímos.

Qual de nós nunca ouviu os pais dizerem para estudarmos senão iremos puxar carroça numa alusão aos catadores de papel e metal? Como se aquele fosse um trabalho indigno? Quantas vezes as pessoas não passam por serventes do local onde trabalham e nem sequer cumprimentam aquela pessoa. Interessante ver o quanto as pessoas algumas vezes tratam outros seres humanos como se fossem simplesmente parte da paisagem. Eu creio que esse tipo de fenômeno é bem pior do que o pré-conceito racial, pois na maioria das vezes ele é muito mais velado e muito menos criticado do ponto de vista social.

Como todo pré-conceito, esse tipo de comportamento se trata de algo irracional e ilógico. Como se um gari não fosse importante para sociedade. Eu mesmo não consigo imaginar a vida nos centros urbanos sem coleta de lixo, aliás eu consigo sim! Basta parar e assistir alguma entrevista de noticiário onde as pessoas reclamam que da ineficiência ou inexistência de coleta de lixo em bairros mais distantes e nós veremos que não haveriam condições sanitárias em grandes centros urbanos melhores do que na idade média, com ratos, baratas e doenças se proliferando.

Eu realmente acredito que esse é um ponto onde a sociedade tem muito a melhorar, por que eu acho que ao contrário do que se diz por aí o pré-conceito no Brasil é muito mais uma questão financeira, do que uma questão social. Plagiando o próprio Casoy: "Isto é uma vergonha!"

5 comentários:

Blog do Professor Graciano Arantes disse...

Concordo, no nosso país o grande preconceito é social. Ainda bem que você Leonardo, não deixou escapar este assunto.

- sáminina. disse...

Ainda bem mesmo que você não deixou escapar! É por isso que o Brasil é porco sabe? Porque as pessoas são porcas e tomam posições como essa. Queria ver se o lixeiro deixasse de passar na casa dele... quem ia ter que adotar a posição "mais baixa da escala do trabalho" era esse imbecil! mandou bem no post Leonardo!

Daniela Ramalho disse...

cada vez mais se nota essa discriminação entre as pessoas devido ao status social... muitas das vezes nota-se com o desprezo com que se vê serem tratados os empregados nas lojas ou mesmo nos cafés, por exemplo, quase como se eles fossem escravos que têm de fazer tudo o que queremos.
no fundo é uma questão de educação!

Iury Sousa e Silva disse...

foi mto estranho mesmo!

Luiz Mussio disse...

Lamentável o comentário do Boris Casoy, quando a mascara cai dessa forma é muito pouco provavel que as desculpas esfarrapadas, que ele pediu num programa posterior, desfaçam nossa constatação. Ele é um preconceituoso, e reflete a sociedade preconceituosa a que se dirige.