segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Caipirinha sem álcool II

- Não, esta não é mais uma das histórias do Franco


Depois de ter escrito o texto “E se...”, eu fiquei aqui pensando, no modo como as pessoas se escondem e sabotam seus relacionamento simplesmente por medo de uma dor futura e tudo isso me trouxe a mente a seguinte questionamento: será que nós realmente precisamos ter tanto medo de sofrer?


Eu acredito que a dor faz parte da vida e em geral é algo inevitável, por mais que você tente se esconder dela, um dia ela te alcança. Eu acho que essa questão me lembra a infância de quando estamos aprendendo a andar de bicicleta, eu acho que, independente da habilidade de cada um, inevitavelmente levaremos alguns tombos até que tenhamos aprendido a andar de bicicleta. Eu acho que os relacionamentos são essencialmente a mesma coisa. Provavelmente vamos todos levar muitos tombos esfolar joelhos e cotovelos, em especial esses últimos, até encontrarmos a pessoa certa.


Eu sei, pode ser um processo doloroso, cheio de decepções ali, falsas expectativas e acolá. Mas eu tenho pensado sobre essa questão da dor e tenho visto e me perguntando se não podemos fazer nada mais do que esperar passar. E nessa me veio o seguinte questionamento, será que não podemos fazer algo positivo com a nossa dor? E depois disso eu fiquei martelando e me vieram a cabeça inúmeros exemplos de pessoas que souberam, aproveitar aquele momento de dor e transformar em algo positivo. E são tantos exemplos desde ativistas que sentiam que pertenciam a um grupo discriminado e lutaram por igualdade, escritores que escreveram os mais belos poemas sobre suas dores, famílias que souberam aproveitar a morte de um ente querido em uma atitude de generosidade através da doação de órgão e por aí vai.


E depois dessas idéias todas percorrendo a minha mente eu fiquei pensando, já que eu posso tentar usar a minha dor para fazer algo de positivo por que eu preciso ter tanto medo assim dela?

2 comentários:

Andrade disse...

Sim, sim, sim..sofrimentos em relações vão acontecer, mas auto lá! Não é porque eu vou sofrer numa relação que eu tenha que sofrer com qualquer relação. Com o passar do tempo você conhece seus limites, e não vai em qualquer relação de cabeça, pq tem umas que simplismente não valem. Eu sabendo que vou cair num precipio vou me desviar dele quantas vezes eu puder.

Raquel Farias disse...

Concordo com teu pensamento, mas há também os que não tem só o medo de sofrer, como desistem de engatar em um relacionamento por ver certos comportamentos da outra pessoa e achar que não vai dar certo. Que não só irá possivelmente sofrer, mas também perder seu tempo e se desgastar à toa. Porém, quem pode ter certeza do futuro? Algumas coisas precisamos arriscar.

Realmente a dor é inevitável. E sábio é aquele que transforma e tira algum proveito das coisas ruins.