segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Governo Revolucionário, uma pinóia!

Fidel Castro
- Talvez ela ficasse boa no Santinho.


Se há algo que eu nunca consegui entender na minha vida foi o apoio dos intelectuais de esquerda a certas causas e como a defesa dessas causas não se sustentam. Uma dessas causas para mim é a Disneylândia socialista, também conhecida como a ilha de Cuba.

Aliás, eu nunca entendi os benditos socialistas, em teoria a causa comunista é até bonita seria bastante interessante um mundo utópico onde todas as pessoas tivessem oportunidades de viver livre das opressões de classe e do estado, onde todos pudessem participar ativamente do modo como as decisões na esférica política e econômica. Então, vêm os benditos socialistas e convocam a população a pegar em armas derrubar o atual governo. E tudo isso para quê? Entregar os meios de produção para o partido socialista.

Nesses momentos, surge aquele bando de esquerdista, querer defender a revolução e governo revolucionário. E que eis uma expressão que eu detesto, eu nunca entendi por que se chamam os regimes socialistas de governos revolucionários, para mim o nome certo é ditadura. Não, não é radicalismo da minha parte, é lógico que são ditaduras, e eu provo: nesses regimes as pessoas acabam tendo suas liberdades individuais revogadas, não há garantias individuais, não há liberdade de expressão e o governo faz o que bem entende com os opositores – e quando eu digo o que bem entende, eu estou dizendo mandar surrar uma blogueira até ela precisar de muletas para andar e mesmo mandar executar opositores, os Castros até se orgulham de terem executados diversos opositores nos tribunais revolucionários.

Enfim, eu não sei o que faz certas pessoas se iludirem e acreditarem que os membros do partido socialista são seres humanos melhores do que média. O que dá a eles o direito de serem tratados de maneira diferente das pessoas comuns? O que faz com que eles não possam ser criticados? O que impede pessoas que podem usar o poder sem ter que responder a sociedade de abusarem desse poder?

A história demonstra que os governos revolucionários fazem o contrário do que ele originalmente se propõe a fazer, ao tentar eliminar a diferença de classes na sociedade, eles acabam por dividi-las em duas classes: os membros do partido e a sociedade. Eu acho que os governos revolucionários também não abrem espaço para a atuação política nem econômica da sociedade.

A minha esperança é que o clã dos Castros já se encontra com o pé na cova. Fidel se aposentou por invalidez e ao que tudo indica o prazo de validade do Raúl, que hoje se encontra aos 78 anos, não deve ser muito maior. Isso, se eles não caírem antes devido à dificuldade dos governos revolucionários de conterem a contra-revolução proporcionada pela era da informação.

4 comentários:

Camila Oliveira disse...

Olá!! Leonardo,
Menino... aí de tu se um marxista abrir este blog.. quauquuauqa
Bem, eu na minha "leigissse" já procurei alguns amigos para discutir essas questões, e acredito realmente que o socialismo não é útopico, até porque trabalhos socialistas já estão sendo desenvolvidos aqui mesmo no Brasil, nem precisamos ir à Cuba. Como nos assentamentos da Liga camponesa.
Sobre esses regimes serem considerados DITADURA, esses amigos me explicaram que todo sistema para ser transformado em um regime socialista e posteriormente comunista, tem que passar pela chamada "Ditadura dos Proletáriados", ou seja, que é necessário que haja essa ditadura, essa apropriação dos meios de produção de bens, para que a coisa seja depois dividida igualmente...
Bem, acho que é isso..eu pretendo nessas férias estudar um pouco mais sobre revolução,marxismo, comunismo.. em fim..! precisamos nos aprofundar mais nesses elementos para só depois formar uma opinião ao menos coerente né..
Ps.:To amando o seu Blog!

Daniela Ramalho disse...

quase todas as experiências socialistas acabaram por desenvolver-se passando pela ditadura do proletariado, mas existem actualmente vários socialistas que acreditam que pode existir socialismo sem necessariamente existir essa ditadura, ou seja, socialismo democrático que tende a fazer com que as classes desapareçam e fique tudo mais ou menos nivelado. um dos grandes exemplos que provavelmente se pode dar é o dos países da escandinávia, onde o estado tem um enorme poder na economia e na tributação dos cidadãos, dando-lhes em contrapartida serviços básicos como saúde, educação e segurança social em troca, mantendo níveis de vida muito elevados e uniformes entre toda a sociedade.
eu considero-me socialista, já li várias coisas sobre o marxismo, o leninismo e mesmo sobre fidel castro e a revolução cubana, contudo, não deixo de apontar o dedo e condenar os regimes ditatorais em que tais comunismos se converteram...

sempre tive a ideia de que Lula da Silva era socialista, ele é mesmo? ou é apenas o que se conta na europa?

Leonardo Xavier disse...

Camila,
eu entendo a filosofia deles. Eu só não concordo com idéia de acreditar que os membros do partido que governarão a ditadura do proletariado serão todos honestos e não vão governar em proveito próprio. Se você pegar os exemplos de Cuba, União Soviética e China é possível perceber que os membros do Partido sempre possuem direito a privilégios que os demais membros da sociedade não possuem. E eu deixo uma pergunta: Como uma população que é reprimida, com a liberdade de pensamento confiscada pelos governantes viria atingir um estado de maturidade intelectual para governar a si mesma depois?

Daniela,
Essa questão é complicada. Digamos que o governo Lula deu procedimento as políticas econômicas, do governo anterior que era neo-liberal. Entretanto tem investido bastante em programas assistencialistas e, do ponto de vista ideológico, ele nutre uma certa admiração pelos governos revolucionários da américa latina.

Lah disse...

um pouco de revolta! adorei o texto! e achei seu blog super cult, obrigada pela visita ao meu blog! volte sempre!
estou seguindo você.

abraço t+