domingo, 13 de setembro de 2009

Independência do Brasil

Bandeira Brasil


Esta é uma idéia que já me é muito velha, mas não custa nada ressuscitá-la aqui no blog. Se há algo que eu não entendo é o patriotismo do brasileiro, eu fico impressionado como surgem bandeiras do Brasil em todos os lugares quando temos jogos da seleção nacional. As pessoas pintam a cara de verde e amarelo, põem bandeiras na varanda, largam tudo que estão fazendo e vão assistir ao jogo e haja nacionalismo. A seleção ganha e haja buzina na rua e haja grito de Brasilslisilllllllllllll.

Eu tenho o hábito de torcer contra a seleção brasileira, principalmente quando temos jogos contra a seleção argentina. Não me pergunte o porquê, mas eu acho o futebol dos hermanos muito bonito. Talvez seja pelo fato de ser um time que sempre joga com garra e determinação raramente vistos na seleção tupiniquim, talvez somente quando o time tá bem desfalcado e o pessoal famoso e consagrado fica no banco. Enfim voltando ao assunto, se tem algo que me irrita nessas horas é o pessoal que me pergunta se eu não sou pra brasileiro por este fato.

Nessas horas me vem à cabeça a seguinte questão desde quando torcer pra um time de futebol é exigência para determinar a nacionalidade de alguém. Eu não entendo o patriotismo do brasileiro enquanto se idolatram certos jogadores de futebol que simplesmente querem estar na seleção brasileira por dinheiro e mais dinheiro glória, não que eu tenha nada contra dinheiro e glória (aliás se você tiver problemas pode passar o dinheiro pra mim), negligenciam-se inúmeros profissionais que realmente constroem o país.

Eu fico impressionado como as pessoas dizem que eu não sou patriota por que eu não eu fico torcendo por um monte de estrelas consagradas que moram nas suas mansões na Europa , jogam em clubes europeus e mantém toda a sua vida por lá. Acredito até que depois de se aposentar, os que não torrarem o dinheiro todo em carros esportivos e loiras turbinadas, continuarão morando por lá. No entanto tenho que admitir que existem exceções alguns jogadores quando estiverem velhos e decrépitos voltaram para jogar em algum grande clube carioca ou paulista.

Você pode até me dizer: “ah, mas a seleção brasileira e a mística da camisa canarinho tá acima disso tudo”. Se você quiser acreditar nisso tudo bem, mas se eu bem me lembro quem patrocina a camisa canarinho é nada menos que uma multinacional que fabrica artigos esportivos, se eles fossem realmente nacionalistas não seria mais interessante eles serem patrocinados por uma empresa nacional e ajudar a desenvolver a indústria de artigos esportivos nacionais a partir da sua popularidade? Quantos empregos poderiam ser gerados?

Eu fico aqui pensando com os meus botões, o quanto deixamos de ser nacionalista quando realmente precisamos, não damos mérito aos profissionais da educação, tecnologia, ciências e saúde que realmente servem ao país e supervalorizamos alguns astros da indústria do entretenimento, por que o futebol é hoje nada mais do que um dos ramos dessa indústria.

Cadê o nacionalismo brasileiro na hora procurar consumir os produtos nacionais. Ao contrário de outros países, no Brasil há cultura de nacionalismo na hora de consumirmos produtos nacionais, que em teoria ajudaram a manter mais dinheiro na economia local, que seria usada para gerar mais empregos para brasileiros. Onde está o nacionalismo na hora de se buscar desenvolver a educação nacional, não se vê as pessoas indo a rua solicitar escolas decentes aos governantes com a mesma empolgação e as mesmas bandeiras?

2 comentários:

Andrade disse...

Típico caso do cidadão indignado com os valores dos Brasileirosl, vc tem todo o direito de nutri um amor pela Argentina ou por qualquer seleção que seja. Mas dai a dizer que é porque eles sempre jogam com garra, então vc não torce pela mesma Argentina que eu conheço. Até pq garra depende muito de qual epoca da historia do time, de qual fase e etc.. toda seleção tem seus altos e baixos.
Se um jogador é idolatrado, é idolatrado pelo futebol bonito que apresenta, independente de estar só querendo encher o cú de grana ou não, ele joga bonito e me distrai, é tudo o que importa. E de boa se ele ganham seus milhões pode ter certeza que dão muito mais retorno, nada mais justo.
Eu não essa indignação toda pelo futebol.
E esse papinho de ser patriota na hora de consumir produtos nacionais, parece coisa de Policardo Quaresma...
¬¬

Leonardo Xavier disse...

Pode até parecer coisa de Policarpo Quaresma, mas nos países desenvolvidos se tem essa cultura de consumir produtos locais, de preferência em empresas que são tocadas por pessoas que moram nas proximidades e com certeza é melhor pra o país do que ficar torcendo pra um bando de zé ruela que tá ganhando mais dinheiro do que o a tua vizinhança inteira. Mas a minha crítica é quanto essa noção que dever cívico é torcer pra seleção de futebol.

¬¬