sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Eu não gosto do Chico Buarque!

Esta é uma das cenas clássicas, lá estou eu no bar com os amigos conversa vai, conversa vem. Alguém fala no famigerado e tudo começa:

- O Chico Buarque, isso , aquilo, e blabla bla bla.

- Eu não gosto do Chico Buarque, eu acho ele chato.

- O quê!??! O Chico, isso, aquilo e escreveu “Construção” e é muito difícil rimar todas aquelas proparoxítonas.

Nessas horas, eu me reservo ao direito de permanecer em silêncio. No entanto a idéia que me passa pela cabeça é: Só por que ele usou proparoxítonas no poema/música, eu tenho que gostar dele? Eu acho que ele utilizar as proparoxítonas foi até bom, facilitou a acentuação naquela época, período distante onde a reforma ortográfica (que o ser que vos escreve se recusa terminantemente a aderir!) estava distante e todos nós lembrávamos que as proparoxítonas eram sempre acentuadas.

Enfim, por que diabos eu deveria ser obrigado a reconhecer o Chico Buarque como poeta maior da cultura popular brasileira? Como se fosse fazer falta pra um cara que conquistou toda a nação brasileira, com exceção da minha pessoa, um misero fã que lhe escapa. Ah como são irritantes essas unanimidades. Como se fosse fazer diferença ao Chico ter um fã a menos. Parece que se ao surgir o primeiro ser capaz de não gostar dele, fosse surgir um levante que desestabilizasse todas as estruturas da sociedade brasileira, então ninguém mais fosse gostar do Chico Buarque e todos os cults do mundo tivessem que ler outro poema diferente de “Construção”.

A cultura de unanimidade me é extremamente irritante, por que todos têm que cultuar os mesmo ídolos, ler os mesmos livros, gostar das mesmas músicas, etc. Eu não posso simplesmente achar que The Who é melhor do que os Beatles, que o Nelson Piquet é melhor piloto que o Airton Senna e que o Chico Science é musicalmente mais interessante que o Chico Buarque?

Eu acho que os gostos que cada um cultua, deveriam ser diferentes para cada individuo. Cada qual tem sua cultura e o que é importante ou não para cada qual depende dos valores que se carrega. E eu acredito que isso deveria ser bastante diferente para cada uma das pessoas, haja visto que as experiências vividas por cada pessoa são diferentes e únicas.

Enfim, eu já disse que não gosto do Chico Buarque.

12 comentários:

Andrade disse...

Genin e o zepelin (ou algo do tipo) é bemm bacana.

Beatles é melhor que the who e Chico Science é um escroto!

Mas vc gosta do que quizer

Cacilda disse...

ah, sassá. o cara é meu tio, não dá pra não gostar...

Beka disse...

uahhahhahah gostei da forma como vc escreveu, Leozito! no entanto, só preciso te lembrar de uma coisinha: o grande Chico (o Science) tb tá dentro da "cultura de unanimidades", pelo menos, para os cults =PP
E eu gosto tb do Chico Buarque, embora eu ache que ele é um péssimo cantor e que tem uma voz horrível, gosto das letras de mtas músicas dele. Aprendi a gostar do dito cujo qd me operei dos olhos e tive que passar um dia inteiro sem fazer nada, de olhos fechados e aí resolvi escutar um cd dele q eu tinha ganho e me deu um soninho booom (e na época, eu tinha gostado nada nada do presente, diga-se de passagem) hehehe
bjo p tu
ps: a propósito, acho os Beatles legaizinhos e coisa e tal, mas não me vejo escutando um cd inteiro deles (as músicas são um tanto quanto grudentinhas demais p meu gosto).

Leonardo Xavier disse...

Cacá lê o meu blog \vergonha( e agora o Andrade deve tá imaginando minha linguagem corporal reprimida o.O). E quanto a Beka o presidente também usa Chico Buarque como sonífero(mas a versão literária)!

Viviane disse...

Somos 2!!!!!! Concordo plenamente com vc!!!!!!
bjoss

charlles campos disse...

Leonardo, terminantemente, eu também ODEIO Chico Buarque. Ô negim chato e sem substância, e com aquele sabor de genialidade ufanista incontestável que só o Brasil é campeão em ter.

Karina Lerner disse...

chico é CHATO PRA CARALHO, hahaha! essa é a minha frase em todas as rodinhas de bate-papo. e como vc próprio deve saber, tb "sofro" bombardeamentos e argumentos por todos os lados. :o)

mpquast disse...

Cheguei a esta postagem procurando no Google "só eu não gosto do chico buarque". Porque, olha, cansa, viu? E não é nem que eu realmente não goste dele. Eu simplesmente sou indiferente. Aí, quando revelo que não sabia que a música X é dele, nossa, que absurdo! Peguei raiva dele por causa disso. Na verdade, é uma raiva dessa suposta unanimidade que você tão bem descreveu. Ultimamente, quando as pessoas me olham com aquela cara de "que absurdo! vc não gosta/conhece essa música do Chico" eu já falo "é, eu sou ignorante mesmo!" :P

disse...

Bom, você não é o único que não gosto do Chico! Ao contrário de você, meus amigos enchem minha cabeça por eu gostar dele! E eu gosto de verdade. Sim, porque têm pessoas que falam que gostam do Chico pra parecerem intelectuais!Não sou o tipo de pessoa que acho absurdo uma pessoa não saber que tal música é do Chico. Chico Buarque pra mim é um artista completo, li um conto da Martha Medeiros que ela diz mais o menos, que quando admiramos muito um artista não conseguimos enxergar os defeitos e é bem isso que acontece comigo! Mas Chico não veio ao mundo pra agradar a todos né mesmo? e acho que seria um saco se todo mundo gostasse dele! viva a diversidade!

Cinquentão disse...

pqp! até que enfim deixei de me sentir um E.T., concordo em grau, gênero e número. E viva Piquet,

Quase cinquentona disse...

Concordo em gênero, número e grau com o que você falou.
Ainda por cima acho o Chico Buarque desinteressante como homem, muito sem graça.
Parece que todas as mulheres acima de 40 anos discordam de mim e me acham esquisita por isso.
Ainda por cima fica cantando música falando pra botar água no feijão se passando por socialista e pobre o que na realidade não é. Viva Cazuza um poeta que passava verdade nas suas letras. Assumia que era da alta classe média e que queria viver suas escolhas até as últimas conseqüências. Cazuza podia ser tudo menos hipócrita.

Francisco Águas disse...

Me lembra desse conto.

Eu odeio Chico Buarque - Como me tornei uma semi celebridade.
Estou sendo cotado para um reality show de um canal à cabo. Dei entrevista em um talk show de um comediante na madrugada. Fiz comercial de material esportivo de segunda linha. Fui contratado como dj (mesmo sem ser dj) para festas noturnas no interior. Fui jurado em programas de calouros. Cheguei a dar autógrafos, a tirar selfies com fãs. O vídeo que me lançou ao semi estrelato foi o mais visualizado no YouTube no ano. Telejornais faziam matérias sobre o vídeo.
Minha vida mudou radicalmente. De repente me tornei uma celebridade da segunda divisão. Minha vida pacata e completamente anônima evaporou-se instantaneamente. Passei a ser reconhecido nas ruas, deixei meu emprego de auxiliar de contabilidade em um pequeno escritório no triângulo mineiro.
Tudo porque em uma pelada de futebol, encerrei a famosa carreira de peladeiro de ninguém mais, ninguém menos do que Francisco Buarque de Holanda! Com um carrinho violento, covarde e vil, rompi os ligamentos dos dois tornozelos do dono do Polytheama! Continua em:
http://blogodofranciscoaguas.blogspot.com/2017/09/eu-odeio-chico-buarque-como-me-tornei.html