domingo, 26 de julho de 2009

Como você mede o seu sucesso na vida?

100 cem Reais

Essa semana por coincidência, eu tenho conversado com vários amigos na mesma faixa etária que eu. Coincidentemente a maioria deles se encontra em crise devido à carreira profissional e em conseqüência disso acaba se questionando quanto ao sucesso na vida. Eu atualmente não me encontro exatamente num desses momentos de crise, mas o lance é que minha carreira não é o que poderíamos chamar de carreira de sucesso, eu não tenho o emprego dos sonhos e nem tão pouco ganho rios de dinheiro. Enfim, esses diálogos ficaram rodar na minha cabeça e por fim seguinte pergunta:

“Como você mede o seu sucesso na vida ?”

Em geral, as pessoas sempre medem o seu sucesso como profissional e suas realizações do ponto de vista financeiro. Eu acho que isso deveria ser esperado, se analisarmos que nós vivemos numa sociedade de consumo, onde tudo está associado ao consumo e as pessoas bem-sucedidas são aquelas que demonstram mais capacidade de consumir.

Eu também sei que até certo ponto o retorno financeiro e as nossas atividades profissionais são importantes, mas eu acredito que isso é o tipo de coisa que deveria dar suporte à nossa vida e muitas vezes as pessoas vivem para o trabalho. Mas a questão é será que o seu grau de satisfação em relação ao seu estilo de vida está associada à sua capacidade de consumo e ao cargo x no setor y da sua empresa? Eu acredito que se deveria buscar medir o sucesso na vida a partir de outras variáveis que não o dinheiro depositado na sua conta mensalmente ou o cargo x na empresa y.

Eu acredito que a realização como profissional é importante, mas isso não necessariamente precisa estar atrelado ao retorno financeiro. Por exemplo, eu acho que o um ambiente de trabalho agradável no qual há respeito entre os colabores conta muito, assim como liberdade para executar suas tarefas. Além do mais, a realização profissional não deveria ser o foco principal da sua vida. Eu acho que muitas vezes, nós acabamos definindo-nos por nossa atividade profissional. Um exemplo disso é quando conhecemos uma pessoa nova num bar ou numa confraternização, uma das primeiras perguntas que se faz é : “O que você faz ?”. Ao que prontamente respondemos: “Eu sou (ponha o seu cargo aqui), trabalhando na área de (ponha área da sua especialidade aqui) na (ponha o nome da sua empresa aqui).”

Outro ponto interessante é ver como a rotina do trabalho consome o seu tempo, por exemplo: eu detestaria arranjar um emprego que eu tivesse que trabalhar 12 horas diárias, por exemplo, independente de quanto eu fosse pago para realizar minhas atividades, por que sei que eu não teria qualidade de vida ou tempo para me dedicar a outras coisas importantes como bater um papo com os amigos ou familiares, ler um bom livro e sair para apreciar uma boa música ou um bom jantar. Afinal, que adianta ter um apartamento luxuoso se eu passo a maior parte do meu tempo no escritório ou no trânsito a caminho do trabalho?

Enfim da próxima vez que me perguntarem o que eu faço eu vou responder: “Eu escrevo um blog que ninguém lê, eu saio pra beber conversar com os amigos, eu aprecio o tempo com a minha família, leio o Fernando Pessoa e no tempo que me sobra eu arrumei um emprego pra pagar as contas.”. E pode ter certeza que eu vou passar a medir o meu sucesso na vida pelos momentos de felicidade e satisfação nas pequenas coisas e não no meu saldo bancário.

2 comentários:

luiz scalercio disse...

cara bela pergunta eu nao sei responder porque eu nunca pensei nisso .

Anônimo disse...

gostei foi muito inteligente,porque a final de conta a vida e mais importante